Publicidade
Esportes
Craque

Destino: Viajando para ver shows

Assim como no ano passado, festivais e shows acontecem todo mês. Fãs se organizam para viajar 05/02/2012 às 12:00
Show 1
Antônio Pizzonia sempre assiste shows em viagens de trabalho
Vanessa Bayma ---

O Brasil definitivamente se firmou no circuito de shows internacionais com o grande número de festivais que rolaram no ano passado. Para 2012, a agenda começou logo em janeiro, com o Summer Soul Festival em São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis. Até o mês de maio a turnê de vários artistas, de gêneros musicais diferentes, deve passar pelo País. Do pop ao metal tem para todos os gostos e já tem amazonense se organizando há tempos.

É o caso do chef Thiago Santana, que comanda o Ferrugem Rock Gourmet. Ele viaja desde os 13 anos para assistir shows fora da cidade e em abril vai ver Roger Waters, do Pink Floyd, em São Paulo. “Por enquanto é esse que está programado. Mas já vi shows do Ozzy (Osbourne), Iron Maiden, U2, Sepultura”, contou o chef, que este ano disse ter outra prioridades e acredita que não poderá viajar tanto.

Organização

Como bom viajante e fã, o chef atentou ao fato de sempre tentar comprar passagens adiantadas, para aproveitar uma melhor tarifa, além dos ingressos, que muitas vezes esgotam rapidamente. “Essas informações a gente encontra nos sites, sabe pelo bate-papo, e aí se programa logo. Tem grupo que fecha hotel e fica mais barato”, explicou Thiago, que elegeu o show do Iron Maiden, em Manaus mesmo, como um dos melhores: “Foi no quintal da minha casa”, brincou. Mas também lembrou do Rock in Rio 2, onde ganhou todos os dias, hospedagem e passagem de presente.

Também fã de rock, o industriário Fabrício Moreira sempre se organiza com antecedência. Para o Metal Open Air, que acontece em abril, no Maranhão, com 20 atrações nacionais e 20 internacionais, foram aproximadamente 3 meses viabilizando a viagem: “Não sai caro. É um dos turismos mais baratos assistir shows em São Paulo, por exemplo. Você consegue viajar por R$ 330 ida e volta. A rede hoteleira é barata, pra se locomover é fácil. Uma vez não gastei nem R$ 700 para ver três shows em um final de semana. Além disso, tem o turismo gastronômico”, lembrou o industriário.

Fabrício, em 2011, assistiu Judas Priest, Blind Guardian e Slayer. Ele sempre tenta programar viagens em locais onde vão rolar shows bacanas: “A gente acaba aliando com um turismo de família. Minha esposa sempre fala: ‘Poxa, porque que quando a gente sempre viaja acaba indo para algum show?’”, falou.

O industriário costuma viajar com vários amigos e já chegou a alugar casas. Para o festival de metal, existem pacotes que têm atraído os metaleiros. Passagem, hospedagem e ingressos saem por R$ 1,2 mil aproximadamente, de acordo com o fã.

Exterior

Com as facilidades das viagens internacionais, ir ao exterior para assistir a um espetáculo é um sonho possível. O professor da Ufam, notário e registrador no Amazonas, Marcelo Lima Filho,  já viajou com grupo de amigos para a Suíça, Estados Unidos, Polônia, República Tcheca, Alemanha, entre vários países, tanto para conhecer a cultura local quanto prestigiar suas bandas preferidas.

“Tenho um grupo de amigos e costumamos assistir shows de rock pelo menos uma vez ao ano. Já vi Iron Maiden e Metallica umas 10, 12 vezes”, lembrou o notário. Em junho, ele embarca para um festival em Londres onde vai ver de perto Metallica e Black Sabbath com formação original!

“Acho que sai mais em conta. O que nos atrai é a segurança, o custo e o conforto. Uma vez cheguei atrasado no show do Rush, em Chicago, e minha cadeira estava lá. No Brasil isso não aconteceria. Além dos ingressos também, o show é completo, o que normalmente não acontece aqui”, explicou Lima que, apesar de não ter filhos, lembrou que o hábito que compartilha com os amigos há 20 anos vem sendo passado para os que já têm herdeiros. Quem gosta são as agências, como a Paradise Turismo, que em 2005 fechou pacote com o grupo que foi ver o Queen em Aruba.