Publicidade
Esportes
Craque

Dinheiro de repasse ao futebol está disponível, mas nenhum clube está apto a receber

De acordo com o secretário de esportes em exercício, Ricardo Marrocos, nenhuma das dez agremiações que disputam o Barezão se habilitou para receber os R$2,5 milhões de repasse aos clubes profissionais do Amazonas. Prazo para retirada finalizou na última segunda-feira (13) 17/04/2015 às 13:23
Show 1
Ricardo Marrocos secretário do Sejel
Camila Leonel Manaus (AM)

Os R$2,5 milhões repassados aos clubes de futebol que disputam a Série A do Campeonato Amazonense, estão disponíveis na Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer (Sejel). Mas nenhum clube apresentou a documentação necessária para a retirada. O repasse, que foi anunciado pelo governador José Melo no dia 4 de março, foi liberado por meio de edital no Diário Oficial do Estado do Amazonas no dia 30 de março, porém até o dia 13 de abril – data limite para a apresentação da documentação - nenhum clube se mostrou apto à receber o benefício.

De acordo com o secretário de esportes em exercício, Ricardo Marrocos, na última quinta-feira (16), o recurso está disponível. No entanto, como os clubes não prestaram contas do dinheiro repassado em 2014, não há como liberar o repasse deste ano.

“Nós publicamos no dia 30 de março do Diário Oficial um edital, um chamamento público, que os clubes do Campeonato Amazonense da Série A se habilitassem para o patrocínio. Para esses recursos serem repassados para eles. Dia 13, agora passado, nenhum clube se habilitou. Agora o recurso está na Sejel. O governador do Estado, ontem (quinta-feira, 16), nos chamou para uma reunião e pediu que nós achássemos alguma forma. Agora nós estamos esperando um novo direcionamento do governador. Existe sim, muita boa vontade do governo do Estado em ajudar o futebol profissional. O recurso está disponivel, o grande problema hoje é com os clubes, que não conseguem resolver o problema de adimplência ou inadimplência para que eles possam receber”, explicou.

O repasse direto aos clubes foi um plano B. A ideia inicial era repassar o dinheiro para a Associação de Clubes Profissionais do Amazonas (ACPEA), mas algumas cláusulas não permitiam que o convênio fosse concretizado. A saída foi repassar o dinheiro diretamente aos clubes como patrocínio, mas para isso, os clubes precisariam apresentar prestações de contas, o que não aconteceu. Segundo Marrocos, não existe outra saída para esse repasse se não houver a prestação de contas.

“Existe a boa vontade do governo em resolver isso e colaborar com o futebol profissional. Nós estamos aguardando agora que os clubes possam resolver. Eu não vejo aqui alternativas. Já esgotamos os dois recursos, - que seria através de convênio com a Associação e o outro de patrocínio com os clubes - e estamos aguardando  que os clubes resolvam de uma outra forma. Talvez que os clubes pudessem prestar contas com o Governo do Estado, com a Sejel e ficassem aptos e habilitados para um novo chamamento para que eles pudessem receber um novo repasse”, finalizou.