Publicidade
Esportes
Craque

Diretor mineiro: 'Números do Corinthians assustam'

Dimas Fonseca, diretor de futebol do clube mineiro, assume que não tem condição de equiparar proposta corintiana, mas faz jogo duro 06/01/2012 às 11:21
Show 1
Montillo é disputado por Timão e São Paulo
Lance ---

O Cruzeiro tem plena consciência da proposta do Corinthians, bem acima do que o clube paga a Montillo e tem condições de pagar. De acordo com Dimas Fonseca, diretor de futebol celeste, os valores são surreais. Motivo principal da manifestação para trocar de clube.

- Qualquer pessoa assustaria com os números oferecidos pelo Corinthians. Mas eu acho que ele (Montillo) vai esfriar a cabeça e, depois, a gente sentará e dará continuidade ao trabalho - afirmou o dirigente, à rádio Itatiaia.

Dimas lembrou que não há chance equiparar a oferta salarial dos paulistas nem de aumentar o valor atual de maneira tão grande.

- O Cruzeiro não vai sair da realidade. Ele é o maior salário dos nossos profissionais. Ele vai cair na realidade do clube, não vamos nos comprometer com o que não conseguiremos pagar. O salário dele já é alto aqui - lembrou.

Dimas reafirmou que o clube irá brigar para receber o valor que julga mais justo para liberar o argentino, que é de 15 milhões de euros (cerca de R$ 36 mi). Mas com a ressalva de que uma posição firme do jogador complicaria a situação, já que o Corinthians retomou a negociação.

- O valor que o Corinthians reafirmou para nós, com a vinda de seu diretor aqui, é de 20 muilhões de reais. Isso está muito distante dos valores que o Cruzeiro entende ser necessário. Nós estamos tranquilo, ficamos surpresos com a notícia da nota do Montillo, já que falei com ele ainda hoje pela manhã - lembrou.

- Montillo sairá se o clube pagar os valores que queremos, ou ele demonstrar a insatisfação, de que não quer ficar - completou, deixando no ar a preocupação com a posição do jogador.

Questionado sobre a frase do presidente Gilvan de Pinho Tavares, de que "liberaria Montillo se ele se manifestasse dessa maneira", Dimas preferiu ficar em cima do muro.

- Não se opôr, mas com limites. Não vamos liberar o portão do Cruzeiro por aquele valor. O doutor Gilvan não vai prendê-lo aqui, mas não vai deixar ir embora por um valor irrisório, que a gente acha que não vale a pena - avisou.

Em tempo: Montillo avisou Dimas Figueiras de que deseja conversar pessoalmente com o presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares. Contato esse que deve ocorrer até esta sexta-feira.