Publicidade
Esportes
Craque

Disputa de faixa marrom e preta marca o último dia do Amazonense de Jiu Jitsu

A disputa começa nesta quarta-feira (21), às 9h na Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira, Zona Centro-Sul de Manaus. 20/04/2015 às 21:40
Show 1
Disputa de atletas faixas marrom e preta encerra o Campeonato Amazonense de Jiu Jitsu
Camila Leonel Manaus (AM)

O último dia do XXVIII Campeonato Amazonense de Jiu-Jitsu terá confronto de atletas faixas marrom e preta na Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira, Zona Centro-sul de Manaus. As lutas começam às 9h da manhã desta terça-feira (21), com as lutas de faixa-marrom e por volta do meio-dia, começam as lutas dos faixas-pretas masculino e feminino nas categorias Adulto e Master. A entrada é gratuita.

O campeonato teve início no sábado (18) e as competições seguiram pelo domingo (19) reunindo atletas de várias idades e faixas, com o recorde de mais de 3 mil atletas inscritos no campeonato.

As categorias eram divididas por peso, faixa e idade. No sábado a categoria infantil e juvenil disputaram as medalhas. No domingo, foi a vez dos adultos das faixas azul e roxa invadirem os tatames para lutar pelo ouro. Ao todo, 3 mil atletas se inscreveram, um recorde de inscrições no campeonato. As idades variavam de 4 aos 60 anos e lutadores de vários municípios do Amazonas.

O diretor de arbitragem da Federação do Amazonas de Jiu-Jitsu, Ajuricaba Mascarenhas, avaliou que no fim de semana, a competição foi um sucesso.

“Foi o um sucesso. Nesse ano foi o maior público já constatado no campeonato. Apenas a parte inferior da Arena Amadeu Teixeira foi liberada, mas essa parte estava todo tempo lotada”, disse.

O diretor disse ainda que esse grande público demonstra o bom momento vivido pelo esporte no Estado.

“Eu posso dizer que estamos na nossa melhor fase. Atletas de todos os municípios: Tefé. Itacoatiara, Manacapuru, Novo Airão, Coari, Iranduba participaram. A estrutura da competição está muito boa. Nível de competição nacional. Isso também pode ser percebido pela quantidade de atletas inscritos e pela recepção do público”, explico

Faixa preta

No último dia, atletas faixas marrom e preta competirão. Segundo, Mascarenhas, o bom da luta será no dia de hoje. “É o que seria o bom da luta, mas sem deixar  de falar que a criançada dá um brilho especial. É legal vê-los lutando. A garra, a técnica aprimorada e é muito bom saber que os professores têm feito um bom trabalho”.

Menino Prodígio

Durante o Campeonato Amazonense de Jiu Jitsu, novos talentos são revelados. Exemplo disso é  lutador  Orlando Gomes da Silva, de oito anos, que disputou a categoria pesadíssimo (acima de 43kg) e foi medalha de ouro na manhã do último sábado. O jovem lutador, faixa amarela de jiu-jitsu,  representou a  Academia Chiquinho Top Team, onde treina desde o começo do ano passado.

Segundo a mãe de Orlando, Michele Gomes, o garoto começou a treinar no início de 2014 após ganhar um  kimono do pai. “Em janeiro, o pai dele presenteou o Orlando com um kimono porque ele estava ficando gordinho resolveu fazer isso para o bem dele e aí foi só vitória. De lá para cá ele já conquistou 10 campeonatos, em todos ganhou medalha de ouro”, disse orgulhosa.

Ela destacou que o lutador que enfrentou Orlando na final pesava 48kg contra 43kg de Orlando. A categoria vai até 60kg. Ainda de acordo com Michele, Orlando é dedicado e treina de segunda a sexta. O desejo de Orlando é seguir no esporte e se tornar um lutador de MMA quando crescer. Os pais do menino também espera que um dia ele possa ser um atleta de destaque que represente o Estado em competições nacional e até internacionais.