Publicidade
Esportes
DESTAQUE

Artilheiro do Vasco, Pikachu fala da evolução no time e sobre o 'espírito de virada'

Em entrevista exclusiva, Pikachu fala do crescimento no Vasco e das pretensões do time para a temporada. O cruzmaltino joga contra a Chape às 15h, na Arena Condá 21/04/2018 às 16:43 - Atualizado em 22/04/2018 às 07:04
Show pikachu
(Foto: Paulo Fernandes/Vasco)
Camila Leonel Manaus (AM)

Nunca o Vasco fez valer tanto o apelido de “time da virada” quanto em 2018. Foram seis jogos com vitórias decretadas no fim da partida. A última delas foi na semana passada contra o Atlético Mineiro, quando Yago Pikachu, artilheiro do Vasco na temporada com oito gols, marcou de pênalti. Mas o protagonismo do jogador nascido em Belém e revelado pelo Paysandu, demorou um pouco até deslanchar. O segredo para essa evolução, o jogador contou com exclusividade para A CRÍTICA.

“Foi tudo naturalmente, com paciência e muito, mas muito trabalho mesmo. A adaptação ao Rio de toda a família, o jeito de jogar no Vasco , os momentos bons e ruins... tudo isso vai nos amadurecendo”, explica o jogador.

Além da adaptação à nova cidade, algo foi primordial para que Pikachu se destacasse: a troca de posição. Lateral direito de origem, para ajudar o elenco chegou a jogar no meio. Com a vinda de Zé Ricardo para o time no fim do ano passado, o jogador voltou à posição e origem e começou a se firmar como uma dos principais peças do elenco, porém ele destaca a melhora não só dele, mas do elenco.

“Nunca escondi de ninguém que minha posição é de lateral direito e é minha preferência. Mas também sempre deixei claro que estou disposto a ajudar em outras partes do campo. O professor Zé Ricardo tem uma metodologia de treinos que agradou a todos no grupo e conseguimos uma vaga na Libertadores no ano passado quando ninguém esperava. Sou um dos que melhoraram com a chegada dele, mas todo o time passou a jogar melhor”, contou o lateral que destacou a principal característica do time do Vasco: o de nunca se entregar e é isso que vem sendo determinante para ser um time que consegue reverter placares.

“Nunca achamos que o jogo está perdido. Sempre acreditamos que podemos. É com esse espírito que entramos em campo e só relaxamos quando voltamos pro vestiário após os 90 minutos”, revela.

Contra a Chapecoense, na Arena Condá, o Vasco precisará desse espírito de superação para esquecer a derrota para o Racing na Libertadores na última quinta-feira. O cruzmaltino chegou em Chapecó na noite da última sexta-feira, onde fará um último treino antes da partida contra o Verdão do Oeste, mas o jogador afirma que mesmo com a proximidade de jogos, maratonas de viagens, o time não abandonará o Brasileiro, almejando  pontos para aparecer entre os primeiros..

“É sempre um planejamento difícil, mas muitos clubes também passam por isso . Temos a ambição de nos classificar na Libertadores, mas o Campeonato Brasileiro não pode ser deixado de lado. Temos uma boa estrutura e profissionais que nos acompanham para conseguirmos nossos objetivos”, pontuou . 
A Chapecoense também vem de derrota para o Atlético Paranaense por 5 a 1, na Arena da Baixada.

Ficha Técnica

Chapecoense: Jandrei; Apodi, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral, Elicarlos, Luiz Antonio e Canteros; Arthur e Wellington Paulista. Tec: Gilson Kleina

Vasco:  Martín Silva, Rafael Galhardo, Paulão, Werley e Henrique; Wellington, Desábato, Evander, Wagner, Yago Pikachu e Riascos. Tec: Zé Ricardo

Estádio: Arena Condá

Hora: 15h  

Árbitro:  Luiz Flávio de Oliveira (SP) 
 

Motivo: 2° Rodada do Campeonato Brasileiro

Publicidade
Publicidade