Publicidade
Esportes
Craque

Em poucos minutos, Danilo volta a mostrar sua importância no Timão

Entrada do camisa 20 no lugar de Willian melhorou a equipe de Tite, que elogiou o desempenho do jogador diante de Mirassol e Guaratinguetá 27/01/2012 às 09:09
Show 1
Contra o Guaratinguetá, Danilo voltou a dar assistência. Desta vez, para Alessandro...
Lance ---

Danilo precisou de alguns minutos para mostrar a Tite que o ano de 2012 teria que começar da forma que terminou a última temporada: ele sendo o titular.

Foram 26 minutos contra o Mirassol, após sair do banco de reservas, e mais 67 minutos diante do Guaratinguetá. Mas o suficiente para o treinador perceber que, com sua presença, a equipe cedeu menos contra-ataques e ainda ficou mais tempo com a bola nos pés.

Após a última vitória, Tite não escondeu a melhora em relação à primeira parte do confronto com o Mirassol, quando a equipe estava com o veloz Willian como titular.

– Fiquei contente com ele e Alex. Danilo dá criatividade e uma consistência importante para o time. Com ele, temos retenção de bola no ataque – afirmou o comandante, que havia preferido Willian na estreia.

 

A retenção de bola no setor de ataque citada por Tite é percebida na comparação dos dois jogos pelo Paulista. Se no primeiro, com 26 minutos de Danilo em campo, o Mirassol teve posse de bola parecida com a do Timão, o mesmo não ocorreu com o Guaratinguetá, que teve menos.

A diferença fica ainda mais expressiva quando se lembra das condições do gramado e do mando. Na estreia, piso perfeito e presença da torcida corintiana no Pacaembu. No segundo, atuação como visitante e um gramado em péssima condição.

Rotina
Começar sem qualquer perspectiva e/ou em baixa e, na sequência dar a volta por cima, virou rotina para Danilo no Parque São Jorge. Desde o início, em janeiro de 2010, quando menos se esperava, o meia voltava à equipe titular e virava protagonista.

Foi assim com Mano, Adilson e, por último, Tite. Em 2012, mais uma vez, Fiel verá o camisa 20 em campo.

DANILO NO TIMÃO

Dezembro de 2009
Corinthians confirma contratação do meia, que estava no Kashima Antlers, do Japão. Campeão da Libertadores pelo São Paulo, ele chega com moral.

Abril de 2010
Faz o primeiro gol pelo Timão. Atuações irregulares e contratação de Defederico o fazem perder a camisa 10. Time é eliminado na Libertadores.

Dezembro de 2010
Timão perde o título brasileiro. Danilo, que viu Bruno César virar protagonista, recebe oferta do Japão, mas resolve manter seu contrato.

Primeiro semestre de 2011
Pior momento no clube. Queda contra o Tolima (COL) antecipa o fim da car-reira de Ronaldo e faz alguns atletas sumirem. Em alguns jogos do Paulista, Danilo nem sequer é relacionado.

Junho de 2011
Alex é liberado para jogar e, mesmo com a forte concorrência, Danilo segue titular. Contra o São Paulo, faz o melhor jogo: gol e duas assistências.

Dezembro de 2011
Danilo termina o Brasileirão com o título e com o posto de principal garçom da competição (11 passes).

PRESENÇA DE DANILO COLABORA COM...

Alex
Com o camisa 20 em campo, o meia não vira a única referência na armação das jogadas, sendo menos marcado.

Ralf e Paulinho
Volantes conseguem sair de trás com mais segurança, sabendo que a bola será retida até a chegada deles.

Alessandro e Fábio Santos
Se subirem ao ataque, os dois laterais sabem que a chance de fazer tabela será ainda maior.

Willian
Com Danilo no papel de protagonista, o camisa 7 fica sem tanta cobrança nem responsabilidade. Tendência: render mais.

Atacantes
Liedson, Willian, Elton ou Emerson. O maior garçom do último BR, com 11 passes para gol, ajuda no último passe.

Tite
Além de exemplo aos demais, Tite tem em Danilo a certeza de que, numa decisão, ele não sentirá a forte pressão.  

BATE-BOLA COM DANILO, exclusivo ao LANCENET!

Você foi reserva na primeira partida, mas retomou a posição e foi elogiado por Tite. Como tem visto essa disputa interna?
Acho que isso é essencial, porque deixa bem claro que quem estiver melhor vai jogar. Isso dá confiança para todo mundo no dia a dia. Todos vão trabalhar e tentar mostrar o valor em campo. Cada um tem de aproveitar a chance.

O esquema com dois meias, você e Alex, é o melhor?
Esse esquema deu certo no ano passado, eu e Alex jogamos várias partidas juntos. Não tenho nenhuma dificuldade em jogar pelo lado ou por dentro. Com dois meias tem mais posse de bola, em relação a só um na armação.

O Corinthians foi atrás de Montillo, que é da sua posição. Acha correta a atitude da diretoria?
Isso é normal no futebol. Quanto mais jogador de qualidade no elenco, melhor será para nós e para o clube. Tem de respeitar sempre quem está jogando, senão não pode jogar. Quem vai decidir é o treinador, com várias opções é a equipe que sai ganhando.

Você é uma das apostas para a Libertadores, por já ter experiência e ter conquistar um título...
Isso é bom, já disputei quatro Libertadores, fui campeão em uma e finalista em outra. É um campeonato diferente, bem disputado, tem de ter uma boa equipe, madura. Tem de saber jogar de jeitos diferentes dentro e fora de casa. Às vezes vai ter aquele jogo que não pode tomar gol. É importante trabalhar o emocional. Vai ter jogo fora que vamos jogar para não perder mesmo, isso é a Libertadores.