Publicidade
Esportes
Craque

Emanuel e Alison derrotam baiano naturalizado suíço e conseguem 2ª vitória em Londres

Com o segundo resultado positivo, dupla brasileira assegura classificação para a fase eliminatória do vôlei de praia de forma antecipada 31/07/2012 às 10:26
Show 1
Emanuel e Alison derrotam baiano naturalizado suíço
Uol/ Esporte ---

Os brasileiros Emanuel e Alison continuam a caminhada de favoritismo nos Jogos de Londres. Depois de uma estreia complicada no último domingo, a principal dupla masculina do vôlei de praia do país derrotou nesta terça-feira os suíços Jefferson Bellaguarda e Patrick Heuscher por 2 sets a 0, com parciais de 21-17 e 21-12.

Brasileiro naturalizado suíço, Bellaguarda já disputou várias competições em seu país de origem e conhece bem os adversários desta terça, principalmente Emanuel. Aos 35 anos, o baiano tem a nacionalidade do país europeu desde 2004, quando se casou com uma cidadã local.  

Com o segundo resultado positivo, Emanuel e Alison asseguram classificação para a fase eliminatória do vôlei de praia de forma antecipada.

"Ao contrário da estreia, conhecíamos esta dupla, jogamos antes duas vezes contra eles. Sabíamos os pontos fortes e fracos, e isso facilitou. A gente conseguiu uma vantagem de pontos logo de cara e deu para forçar o saque", comentou Emanuel após o encontro.

A partida desta terça-feira em Londres foi disputava sob bastante frio, num atípico verão europeu. Por isso, Emanuel e Alison adotaram a cobertura completa do corpo abaixo do uniforme oficial.

Depois de um começo equilibrado, o jogo de Alison na rede começou a fazer diferença, bem como a ação defensiva de Emanuel. A dupla do país então conseguiu abrir boa vantagem para fechar o primeiro set em 21 a 17.

Os brasileiros conseguiram fazer o jogo deslanchar de cara no segundo set, controlando o marcador desde o início, com destaque para o bom encaixe do serviço. Com domínio completo, finalizaram o jogo com tranquilos 21 a 12.

"Infelizmente eles encontraram o jogo sólido deles hoje, em todos os sentidos, e aí fica difícil. Se continuarem assim, dificilmente não vão ganhar uma medalha", comentou Ballaguarda, com um português destreinado pelos anos no exterior.