Publicidade
Esportes
Craque

Entenda por que José Aldo foi cortado do UFC 153/ Rio

O amazonense foi “limado” do evento que acontece dia 13 de outubro na Arena HSBC, pelo próprio chefão do Ultimate, Dana White, via Twitter, em razão de contusão no pé 12/09/2012 às 11:53
Show 1
Amazonense José Aldo
Paulo Ricardo Oliveira Manaus

Dono do cinturão dos penas (até 66 quilos) José Aldo está oficialmente fora do UFC Rio 3. O amazonense foi “limado” do evento que acontece dia 13 de outubro na Arena HSBC, pelo próprio chefão do Ultimate, Dana White, via Twitter, em razão de contusão no pé. Aldo faria o combate principal do evento contra Frank Edgar, ex-campeão dos leves (66 até 72 quilos).

 O anúncio do corte de Aldo teve o efeito de um balde de água fria nas expectativas de Dana, que já havia tido uma outra baixa por contusão: Quinton Rampage Jackson, que faria a segunda luta em importância da noite diante de Glover Teixeira.

“Agora Aldo está fora por causa de uma lesão no pé. Evento principal e coevento principal no mesmo dia! Outro dia incrível para o UFC. Temos muito trabalho a fazer”, postou o executivo da organização.

 Aldo se envolveu em um acidente automobilístico no dia 1º de setembro, quando a motocicleta que pilotava chocou-se com outro veículo, na rua Prado Júnior, em Copacabana. O amazonense voltava de uma partida de futebol na praia. O acidente irritou o mentor, empresário e treinador de Aldo, André Pederneiras, dono da Nova União, que deu uma semana de repouso ao seu pupilo.

Dedé afirmou na época que levou Aldo para fazer exames de raios-x que não apontaram fratura, mas o pé ficou bastante inchado. Mas, até hoje, não se sabe a real gravidade da lesão.

“Agora que a cagada (sic) está feita não há o que fazer. Eu nunca permiti que Aldo andasse de moto por aí. Ele é pai de uma filha recém-nascida, tem família”, asseverou o treinador.

Momento para reflexão
A saída de José Aldo do UFC Rio 3 acabou sendo providencial se considerarmos a atual fase do lutador. A gravidade da lesão de Aldo pode ter sido mais séria do que se divulgou na mídia. Até agora não foi divulgado o resultado do raios-x. Quando Rodrigo Minotauro teve o braço trincado por Frank Mir, no UFC 140, na revanche entre ambos, o raios-X da contusão pipocaram na mídia alguns dias depois.

 Por outro lado, o amazonense enfrentaria um oponente bastante experimentado, como Frank Edgar, em condições bem  abaixo dos 100%.

 O nascimento da filha Joana, fruto do casamento com Vivianne Pereira, de algum modo já havia afetado no processo de concentração e de foco para a defesa do  cinturão.

Na fase crucial dos preparativos, o campeão ainda “deu uma fugidinha” para gravar participação no programa eleitoral na disputa em Manaus. 

Rampage também está fora
Contusão também ainda não muito bem explicada adiou o que era para ser a aposentadoria de Quinton Rampage Jackson. O norte-americano sofreu uma lesão “séria”  que o impede de duelar com o brasileiro Glover Teixeira em plenas condições no dia 13 de outubro.

Pelo Twitter, Dana White lamentou o incidente com Rampage, que tinha apenas mais uma luta prevista em contrato. “Rampage está machucado e está fora do UFC 153. Droga!”.

Ainda não se sabe, no entanto, que tipo de lesão contraiu Rampage nem se ele será substituído por outro lutador.

Mudanças forçadas
Além de Rampage e Aldo, o UFC 153 já teve uma outra baixa por lesão. Erik Koch teve de ser substituído por Frankie Edgar porque se machucou. A terceira edição carioca do Ultimate também perdeu Vitor Belfort x Alan Belcher, já que o brasileiro ganhou a oportunidade de disputar o cinturão meio-pesado contra Jon Jones, no próximo dia 22 de setembro, no UFC 152. O card agora está sem as duas lutas principais definidas.

A organização diz ter tido prejuízo de R$ 20 milhões com o adiamento do UFC 151, que aconteceria justamente dia 1º de setembro, quando Aldo se acidentou. Dan Henderson, que faria a luta principal contra Jones sofreu contusão no joelho.