Publicidade
Esportes
DESPEDIDA

Familiares e amigos se despedem da lenda do futebol amazonense Amadeu Teixeira

Segundo a neta do ex-treinador e fundador do América Futebol Clube, Amadeu faleceu após sofrer um ataque cardíaco 08/11/2017 às 09:18 - Atualizado em 08/11/2017 às 14:19
Show 63f23b23 d830 456b b23f 9a5986bdc2d4
Foto: Winnetou Almeida
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Familiares, amigos e admiradores do futebol amazonense se despediram nesta quarta-feira (8), em Manaus, do ex-técnico de futebol Amadeu Teixeira, que faleceu na noite de ontem (7) aos 91 anos após sofrer um ataque cardíaco. O velório do ex-treinador e fundador do América Futebol Clube começou por volta das 6h de hoje no Ginásio Poliesportivo de Manaus, batizado com o nome de Amadeu Teixeira.

Nas primeiras horas da cerimônia fúnebre, a neta do ex-treinador, Bruna Alves Parente, de 35 anos, contou que o avô morreu por volta das 21h de em um hospital de Manaus em decorrência do ataque no coração. Segundo ela, antes, Amadeu havia sofrido um acidente doméstico, quebrado três costelas e fraturado o pulmão, o que havia prejudicado a saúde dele e ocasionado uma internação médica.


​Foto: Winnetou Almeida

“No 6 de setembro o meu avô sofreu um acidente doméstico e acabou quebrando três costelas. Uma delas perfurou o pulmão e os médicos colocaram um dreno para ele respirar. Mesmo com tudo isso, na semana passada recebemos a informação que ele poderia ter alta, mas o quadro acabou se agravando. O meu avô teve um ataque cardíaco e entrou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ontem recebemos a informação que ele tinha falecido", explicou a neta.

Durante o velório, familiares prestaram homenagem ao ídolo do futebol amazonense com camisetas do América Futebol Clube. Uma bandeira do time amazonense também foi colocada sobre o caixão para representar o amor de Amadeu pela equipe.

“Conversei com ele antes de entrar na UTI. Estava bem e fazendo fisioterapia. Queria logo voltar para casa e comer arroz e feijão, mas essa fatalidade acabou acontecendo. Meu avô era incrível, ele sempre dava um jeito de ajeitar tudo”, destacou Bruna.


​Foto: Winnetou Almeida

A neta também lembrou do amor incondicional de Amadeu pela família e pelos atletas da categoria de base do América. “O amor por esse time passou para a toda nossa família, porque da mesma forma que ele tratava os atletas, nos tratava em casa. Meu avô nunca foi duas pessoas. Ele é tudo para mim”, disse Bruna, muito emocionada.

Ex-genro e admirador de Amadeu Teixeira, Raniery Parente, de 58 anos, que também já foi preparador físico do América Futebol Clube, compareceu ao velório e afirmou que Amadeu deixou um legado no esporte e na vida de todas as pessoas que conviveram com ele.

“Eu fui casado com a filha do Amadeu durante 10 anos. Trabalhei com ele como preparador físico no América. Hoje só tenho que agradecer pelo convívio satisfatório que sempre tivemos durante esse tempo. O Amadeu contribuiu para o meu aprendizado no futebol. Ele me ensinou sobre honestidade”, disse.


Foto: Winnetou Almeida

O ex-jogador do América Futebol Clube, Torres Filho, destacou que aprendeu a ser um verdadeiro atleta através dos ensinamentos de Amadeu Teixeira. Torres também destacou os grandes momentos no esporte que viveu ao lado de Amadeu.

“Fomos campeões em 1994 contra o Nacional. O Amadeu era o nosso técnico e nos ajudou bastante. Aquela conquista foi épica, pois fazia quase 40 anos que o time não vencia uma competição dessa. Estamos tristes com essa perda, mas felizes porque o legado dele ficará para sempre nos nossos corações. Ele me ensinou a jogar por amor e isso jamais vou esquecer”, concluiu o ex-lateral direito.