Publicidade
Esportes
Craque

Fast Clube (AM) treina chutes para não perder tantos gols

Essa questão tem perseguido o Rolo Compressor desde o início do Estadual deste ano, pois ele é um dos times que mais desperdiça possibilidades de bola na rede dos adversários 23/05/2012 às 10:02
Show 1
Jogadores do Fast Clube se esforçam para chegar afiados à decisão
Paulo Ricardo Oliveira Manaus

Criar  muitas oportunidades e não fazer os gols. Eis o problema. Essa questão tem perseguido o Fast Clube desde o início do Estadual deste ano, pois ele é um dos times que mais desperdiça possibilidades de bola na rede dos adversários.

No entanto, na segunda partida da final de certame contra o Nacional - o primeiro jogo foi empate por 2 a 2 -, a diferença entre rir e chorar para os tricolores pode estar entre aproveitar as oportunidades que surgirem. E devem ser poucas, uma vez que Fast e Nacional devem jogar cautelosos, sem se arriscar na frente.

Para sair da seca de conquista estadual que já dura 41 anos (desde 1971) não resta outra saída a não ser ajustar a pontaria em direção ao gol do Leão da Vila. E tem sido essa a ordem do técnico Paulo Morgado no dia a dia de treinos do Fast.

O treinador português apostará na velocidade e oportunismo de Lacraia; e na força física de Joyner, o “Tanque”, que devem fazer a dupla de ataque no jogo de sábado, além do meia Michel, artilheiro do time com 12 gols. “A diferença entre o sucesso e o fracasso a essa altura do campeonato é muito curta. Não poderemos mais desperdiçar a mínima chance”, afirmou o treinador português. 

Morgado deverá escalar dois atacantes para o confronto contra o Nacional, além de um elemento surpresa: Lacraia, variando pela esquerda e pela direita, Joyner mais plantado e o meia Michel avançando em condição de ataque. “Amanhã (hoje), treinaremos bastante finalização em situaçõe de jogo e também bola parada. Não queremos que o jogo seja decidido nas penalidades máximas”.      

O fator lacraria
Morgado considera Lacraia um jogador importante, seja no conjunto, seja na disposição tática do Fast, mas poderia ser melhor, se o atacante fosse um pouco mais aplicado nos treinos. “O Lacraia é rápido, forte no jogo de um pra um, tem boa finalização, mas há alguns problemas que lhe atrapalham. Se ele fosse mais aplicado nos treinos, seria melhor”, criticou.