Publicidade
Esportes
Craque

Fast Clube e Rio Negro prometem um grande confronto para quebrar jejum de conquistas

Times estão com fome de título e querem mudar a história de vários anos sem títulos 05/05/2012 às 20:33
Show 1
Jogo duro é o que prometem os técnicos, para chegar à final do Estadual
Paulo Ricardo Oliveira Manaus

Fast Clube e Rio Negro fazem o segundo jogo das semifinais do returno do Estadual de 2012, hoje, às 16h, no estádio do Clube do Trabalhador (Sesi) sob trauma de vários anos sem comemorar títulos.

O Tricolor de Aço vive um longo jejum que já dura 41 anos. A última vez que torcedor fastiano extravasou a alegria de uma conquista estadual foi em 1971, ano em que o cruzeiro começou a vingar como moeda oficial no Brasil.

Já o Galo tem 11 anos entalados com o grito de campeão estadual na garganta. Desde 2001, ano em que o País foi palco da terceira edição do Rock in Rio sob o lema: “Por um mundo melhor”, o clube Barrigapreta não põe a mão na taça.

A demora pela conquista tem sido cruel com ambos os clubes, sobretudo, para o chamado Rolo Compressor, que quer passar por cima das quatro décadas e mais um ano de jejum, começando pelo Rio Negro. Técnico do Fast, Paulo Morgado, se mostra confiante. “Creio que dá para mudar essa história. Para superar esse jejum, em Portugal, diríamos que temos que ‘matar um burrego de 41 anos, com barba e tudo’. É muito tempo sem conquistas para um clube como o Fast”.

Porém, Morgado teve dificuldades para levar a campo a formação ideal. O meia Michel, um dos mais regulares do campeonato, com dores na panturrilha, e veloz atacante Jr. Lacraia, com lesão no joelho, desfalcam o time. Emerson Malabin entra no lugar de Michel e Joinner substitui Lacraia, fazendo dupla de ataque com Alexsandro BA. “São substitutos com características diferentes. Por isso, tive que mudar o esquema tático para 4-4-2”, explica o treinador.

Força total no galo

No Rio Negro, não há salário, nem previsão de pagamento. Mas há vontade. Ao menos é o que diz o técnico Iane Geber Jamel. “Vamos pra porrada! Não há atraso e nem contusão. Agora é pra valer! Tive que chacoalhar o grupo para esse jogo. Temos tudo para vencer, pois vamos com o time completo. São 11 contra 11”, provocou.

Após cumprir suspensão automática, Franco volta à lateral-direita. Edinho Canutama se recuperou de dores na coxa e está confirmado no ataque, assim como o meia de criação Smith, que poderá avançar e fazer a ligação com o setor ofensivo. “Vale uma vaga na final. Nós vamos pra cima do Fast”, prometeu.