Publicidade
Esportes
Craque

‘Final das reclamações’. Palmeiras vence Santos com arbitragem polêmica e expulsão de técnicos

Santistas reclamam de impedimento no gol alviverde, enquanto os palmeirenses cobram a não marcação de pênalti em cima de Rafael Marques. Verdão joga por empate na Vila Belmiro para ser campeão paulista 26/04/2015 às 19:20
Show 1
Palmeiras sai na frente na final do Paulistão contra o Santos.
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Em tarde repleta de polêmicas por conta da arbitragem de Vinicius Furlan, o Palmeiras venceu o Santos neste domingo (26), na Allianz Parque, por 1 a 0 e leva vantagem no segundo duelo da final paulista. Com o resultado, o time palestrino joga por um empate para erguer a taça no próximo domingo (3), na Vila Belmiro. Para o Peixe, que reclamou de impedimento no gol do Verdão, só a vitória interessa.

Mais de 39 mil torcedores torcedores assistiram o Palmeiras vencer o Santos pelo placar de 1 a 0, com gol de Leandro Pereira. Mas além do grande público, quem chamou a atenção foi a arbitragem, que mais uma vez foi alvo de polêmica e reclamação dos dois times.

Pelo lado santista a reclamação foi por conta de um impedimento não marcado de Robinho no lance do gol palmeirense - anotado por Leandro Pereira - e do pênalti cometido por Paulo Ricardo no mesmo Leandro Pereira - desperdiçado por Dudu.

Já os palmeirenses contestaram a não marcação de um penal de Geuvânio em cima do atacante Rafael Marques. O árbitro Vinicius Furlan foi tão contestado que os treinadores de Palmeiras e Santos acabaram expulsos ainda no final da primeira etapa.

Furlan ainda expulsou o zagueiro David Braz erroneamente no lance da penalidade - Paulo Ricardo cometeu a falta -, e só voltou atrás na decisão qunado alertado pelo assistente, isso depois de muita reclamação por parte dos santistas. 

Intervalo pegou fogo

Mesmo sem entrar em campo, o chileno Valdívia aprontou das suas. O Mago foi citado pelo árbitro da partida e pode levar "gancho" do STJD. 


“Informo que no túnel de acesso aos vestiários, no intervalo de jogo, o Sr. Jorge Luis Valdivia Toro, número 10 (...) se dirigiu à equipe de arbitragem e proferiu o seguinte: "Uma vergonha essa arbitragem, uma vergonha, arbitragem de ladrão", escreveu Vinicius Furlan na súmula da partida realizada no Allianz Parque.

Valdivia nem chegou a ser relacionado para o jogo. Minutos antes de a bola rolar o Mago foi cortado, ainda nos vestiários. Com uma lesão no joelho esquerdo, o jogador até treinou no último sábado (25), mas acabou fora da partida após a realização de exames. A expectativa do Palmeiras em contar com seu camisa 10 semana que vem, na Vila Belmiro, pode ir por água abaixo caso ele seja denunciado no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP).

Times voltam sem técnicos

Sem Oswaldo de Oliveira e Marcelo Fernandes à beira do gramado. O Palmeiras voltou mais recuado, deixando o Santos com mais posse de bola, porém fechando bem os espaços e impedindo as finalizações adversárias.

As melhores chances alviverdes nos primeiros 10 minutos foram com dois escateios cobrados por Zé Roberto que foram afastados pela defesa do time do litoral. Até que, aos 10, Leandro Pereira teve uma chance de contra-ataque e foi derrubado dentro da área por Paulo Ricardo. Pênalti para o Verdão e cartão vermelho para o zagueiro santista. Dudu bateu, mas muito alto. A bola explodiu no travessão.

Com um jogador a mais, o Palestra passou a controlar a posse de bola. Mas o Santos ainda tinha o contra-ataque e, em um lançamento de Lucas Lima para Ricardo Oliveira, o zagueiro Vitor Hugo impediu o empate com um corte certeiro.


Aos 22, Gabriel Jesus entrou no lugar de Leandro Pereira. Abusado, o camisa 33 ia para cima dos zagueiros alvinegros e apostava no drible, criando algumas boas jogadas para o Verdão que, infelizmente, não foram finalizadas.

O Santos ainda tinha boas oportunidades de empatar em cobranças de escanteio e contra-ataques, o que deixava o resultado do jogo em aberto e impedia que os torcedores respirassem tranquilos no estádio.

Aos 35, Robinho saiu para a entrada de Kelvin, fazendo apenas a sua segunda partida com a camisa do Palmeiras. Aos 39, a torcida se animou para uma cobrança de escanteio. O zagueiro Vitor Hugo cabeceou e a bola passou muito perto da trave.

Com os dois times aparentando cansaço em campo, a partida terminou sem maiores acontecimentos e o Palmeiras venceu o Santos no primeiro Clássico da Saudade da história do Allianz Parque, em um jogo bem disputado e equilibrado.

O Verdão volta a campo no próximo domingo (3), pelo segundo jogo da final do Paulistão, na Vila Belmiro.