Publicidade
Esportes
Craque

Flu revê Boca eficiente e lamenta não encarar "galinha morta" como os rivais

E se o Tricolor foi o primeiro colocado geral na primeira fase, o time de Riquelme & Cia foi o único dos 16 clubes das oitavas de final a vencer as duas partidas do confronto, contra o Unión Española 11/05/2012 às 10:23
Show 1
Fred comemora com Thiago Neves e Gum o segundo gol do Fluminense na partida contra o Internacional
Uol/ Esporte ---

O Fluminense mal superou o Inter pelas oitavas de final da Libertadores e já terá pela frente, no domingo, o Botafogo pela finalíssima do Campeonato Carioca e, na próxima quinta-feira, um novo duelo contra o Boca Juniors, desta vez pelas quartas de final da competição sul-americana. Na fase de grupos, brasileiros e argentinos se enfrentaram duas vezes, com uma vitória para cada lado na casa do adversário. E se o Tricolor foi o primeiro colocado geral na primeira fase, o time de Riquelme & Cia foi o único dos 16 clubes das oitavas de final a vencer as duas partidas do confronto, contra o Unión Española.

“Estou ficando velho para isso, para essas emoções fortes a toda hora (risos). Acabei de ganhar do Inter, já tem Botafogo e Boca, Boca, Boca. Nem tenho muito o que falar agora, só que vou tirar um dia para comprar mocassim, no outro vou comer uma parrillada no restaurante de um amigo meu vendo o jogo que for passar na TV e ainda tenho que ficar repetindo para os jogadores que eles vão ter de sofrer tudo de novo na Bombonera”, brincou o treinador.

A tensão dos grandes jogos fez com que Abel ora respondesse a perguntas com cara amarrada e outras com frases bem humoradas. Nesta confusão de sensações, sobrou até para o regulamento da competição.

“Não sei que vantagem foi essa de sermos o primeiro colocado geral. Qual é o principal rival brasileiro? O argentino. E o Fluminense encarou logo de cara os dois primeiros colocados do Campeonato Argentino (Boca e Arsenal). Logo, nosso grupo foi o mais difícil. A gente fica em primeiro e encara o Inter. Vocês acham que eu preferia o Inter ou o Emelec (risos)? O Emelec, claro. Tô vendo uma porção de gente aí pegando galinha morta e a gente só pega pedreira. Não consigo entender este regulamento”, disse.

O treinador tricolor pouco comemorou a vitória sobre o Inter. A expressão de Abel era muito mais de alívio do que de festa.

“Fez-se justiça. Seria muito ingrato para nós cair agora depois da primeira fase que fizemos. Foi justo. Mas não foi fácil. Depois que viramos o placar, o Inter precisava apenas de um lance até o fim da partida para ficar com a vaga. Um lance apenas. E jogar contra um time como o deles sem poder errar um lance sequer não é fácil”, completou.