Publicidade
Esportes
Craque

Garotada faz bonito no ‘esquenta’ de Motocross, em Manaus

Pequenos pilotos se aventuraram em duas rodas com a nova pista feita a paralela da oficial, no Tarumã, Zona Oeste 23/01/2012 às 09:08
Show 1
Gregory Mota mostra destreza ao realizar salto e olhar para a câmera fotográfica
Roberto Araújo Manaus

A Federação Amazonense de Motociclismo organizou um “esquenta”, neste domingo (22), visando o campeonato Amazonense de Motocross para a temporada 2012. Realizado na pista do Tarumã, a grande novidade ficou por conta dos pequenos pilotos que também poderão se aventurar em duas rodas com a nova pista feita paralela à oficial. Liberar adrenalina, afastar o stress, sentir emoção, desligar-se dos problemas não tem idade.

Com essa iniciativa, o motociclismo Amazonense aposta no nascimento de uma nova safra de pilotos para futuras competições. Uma garotada cheia de energia e garra para continuar a escrever com velocidade a história do motocross amazonense no futuro.

O grande incentivador dos novos talentos é o empresário e presidente da Federação amazonense de Motociclismo, Sergio Mota, “Temos uma filosofia do apoio e incentivo ao esporte, como forma de manter vivo o motociclismo no Amazonas. A pista que fizemos para esses garotos é a realização de um sonho. Acredito que esses pequenos podem dar muitas alegrias para nosso Estado e esperamos apenas que os empresários do setor também invistam e incentivem cada novo talento”, disse o empresário.

Correndo praticamente no quintal de casa, o garoto Gregory Mota, de apenas 6 anos, que já é destaque em competições regionais e nacionais, acredita que pode fazer bonito e seguir abrindo caminho rumo ao sonho de ser piloto profissional.

O jeito tímido esconde um piloto talentoso e agressivo, que hoje briga na ponta com competidores de toda América Latina. Ele ficou animado com o sétimo lugar na competição onde tinha os melhores pilotos do Brasil na categoria Mirim.

A ideia da Federação é trabalhar a categoria, já que é a porta de entrada para novas promessas do MotoCross.

“Vamos começar a preparar a terceira geração de pilotos amazonenses. Esses garotos irão receber uma atenção especial da Federação. Eles são o futuro do motociclismo no Estado”, disse Heraldo Crescencio, que também já foi piloto e é pai de uma das apostas na modalidade: Yuri Crescencio, que com 8 anos já desponta como campeão.

Sergio Mota - Presidente da Federação Amazonense de Motociclismo                                             

1 O que levou a Federação a tomar a iniciativa de fazer uma pista exclusiva para categoria mirim?
Estou à frente da Federação há quase dois anos e percebi que o motociclismo no estado tinha a necessidade de começar do zero. Daí veio a iniciativa de investir e fazer a pista para a categoria iniciante.

2 A falta de apoio tem prejudicado o crescimento do esporte na região Norte?
Eu não culpo os empresários pela falta de patrocínio. O que sempre faltou foi um projeto para que as pessoas apostassem nesse esporte. Hoje posso te afirmar que o Amazoncross tem uma grande estrutura para oferecer.

3 Você aposta no crescimento do motocross a partir da iniciativa de valorizar os novos talentos?
Com toda essa estrutura que temos os meninos facilmente poderiam figurar entre os primeiros lugares em eventos nacionais.