Publicidade
Esportes
Craque

Goleiros da Seleção Brasileira Olímpica falam sobre preparação em Manaus e o calor amazônico

Mesmo enfrentando seleções mais fracas, os arqueiros canarinhos enxergam as próximas partidas como fundamentais para a preparação e tática e acreditam que o importante é sair com a vitória 07/10/2015 às 19:15
Show 1
Gabriel Jesus e os goleiros Wilson e Ederson deram entrevista coletiva nesta quarta-feira (7)
ACRITICA.COM Manaus (AM)

A seleção brasileira treinou na tarde desta quarta-feira (7) no estádio Carlos Zamith, Zona Leste de Manaus, dando proseguimento à preparação para o amistoso de sexta-feira (9) contra a Republica Dominicana. Os goleiros Ederson, do Benfica e Uilson, do Atlético Mineiro, e o atacante Gabriel Jesus, do Palmeiras deram entrevista coletiva antes do início das atividades.

Sobre a preparação para os dois amistosos, os goleiros deixaram claro que o treinador Rogério Micale possui uma filosofia de jogo semelhante à europeia, onde os arqueiros jogam mais com os pés e adiantados. E o treinador tenta passar essa filosofia de jogo para eles.

"Hoje em dia, os goleiros estão jogando mais adiantados e o nosso professor Rogério tem uma filosofia de trabalhar com os goleiros adiantados. Consequentemente, o time precisa trabalhar com o goleiro a bola e o professor pediu para gente trabalhar esse fundamento para que possa facilitar a vida dos nossos companheiros", disse Ederson, goleiro do benfica de Portugal.

Jogando na Europa, Ederson também destacou a diferença da função dos goleiros no Brasil para os que atuam em times europeus.

“Creio que os goleiros brasileiros são diferentes dos europeus. Os europeus estão acostumados a jogar mais com os pés, mais fora da área e, no Brasil, isso não acontece bastante. Creio que alguns jogam bem com os pés, mas não são todos. O professor Micale está trabalhando com uma filosofia diferente de goleiro europeu para ajudar o time e creio que isso é muito importante”, completou.

Os amistosos

Mesmo enfrentando seleções mais fracas, os arqueiros da seleção enxergam os jogos como importantes para a preparação e dizem que o importante é sair com a vitória, apesar de para ele não existir mais "time bobo". 

“Costumo dizer que não tem time bobo hoje em dia. As seleções têm a parte tática bem definida, então a gente tem que estar bem preparado para as situações do jogo”, explicou Uílson, goleiro do Atlético Mineiro.

Calor

A respeito da temperatura, mesmo com um clima mais ameno para os amazonenses que vivem na capital amazonense, os goleiros contaram que em um determinado momento não teve como não sentir o calor de Manaus.

“Ontem (terça-feira) estava um pouco abafado. Como a gente trabalha com a linha adiantada e tem que dar pique para tirar a bola, chegou um certo ponto em que eu senti um pouco o calor. Eu nunca tinha experimentado essa experiência e para mim eu senti que isso pode prejudicar ou favorecer o time”, disse Ederson.

Já para Uílson, apesar de não estar acostumado com o calor, o time tem que se preparar afinal, o calor vai ser para as duas equipes."Eu senti um pouco o bafo porque não estou acostumado com esse calor. Eu não estou adaptado. Mas o calor vai ser igual para as duas seleções", finalizou.