Publicidade
Esportes
Craque

Hoje é dia do clássico Rio-Nal no Campeonato Amazonense

Diferente do primeiro turno, agora quem canta é o Galo, atual líder 28/03/2012 às 09:11
Show 1
No 1º turno o Nacional venceu de 7 a 0 o Rio-Nal
André Viana Manaus

Futebol soa como música para os ouvidos dos torcedores. Clássico então, muito mais. E nesta quarta-feira (28), às 20h, no Sesi, com transmissão ao vivo pela TV A Crítica,  tem Rio-Nal, o mais famoso confronto do futebol amazonense. E já que o texto começou falando em música, se o jogão da noite envolvendo os dois clubes tivesse uma canção tema poderia ser a famosa composição de Nelson Motta e Lulu Santos: Como Uma Onda no Mar. O refrão do sucesso da década de 1980 é perfeito para explicar que “nada do foi será de novo do jeito que já foi um dia”.

Afinal, passados 39 dias do último confronto, a situação vivida pelos dois clubes é completamente diferente do final daquela tarde de sábado de Carnaval, dia 18 de fevereiro, quando o Nacional pôs o “bloco na rua” pra cima do Galo, lhe impondo a maior goleada da história do clássico: 7 a 0.

Naquele jogo, o técnico Leo Goiano fazia sua estreia sob desconfiança da torcida. A boa impressão inicial prevaleceu. Hoje, ele é peça chave de um time que conquistou merecidamente o primeiro turno.

Mas, só para não esquecer: Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. E, com duas rodadas do segundo turno, o time Barriga-Preta é o único com 100% de aproveitamento. Em apenas dois jogos fez mais pontos do que nas nove vezes que entrou em campo no primeiro turno (6 contra 4).

Com dez pontos, e ainda 21 a disputar, o Rio Negro ainda não se livrou do rebaixamento, mas é inegável que a melhora foi brutal. Na soma total dos dois turnos, ele deixou a lanterna nas mãos do Operário, que tem oito. De quebra colou no primeiro time fora da zona de rebaixamento, o Iranduba, que tem 11.

Rio Negro x Nacional

Rio Negro: Adriano; Franco, Pastor, Bianor Neto e James; Vinícius, Paca e Smith; Delciney, Maranhão e Edinho Canutama. Téc.: Iane Geber.

Nacional: Jairo; Amaral, Santiago, Marcone e Cristóvão; Cleiton Maranhão, Álvaro, Edvan e Altair; Messi e Garanha. Téc.: Léo Goiano.

Estádio: Roberto Simonsen (Sesi) 

Horário: 20h 

Transmissão: TV A Crítica 

Árbitro: Reginaldo Vasconcelos Noronha

Assistentes: Luis Cláudio R. da Costa e Ivo Fernando da Costa de Souza.