Publicidade
Esportes
Craque

‘Joguei a toalha. Não confio mais no time’, declara decepcionado presidente do Fast Clube

A declaração de Ednailson Rosenha foi feita diante da derrota da Taça Amazonas. Além do desabafo, ele afirmou que vai demitir os jogadores com os salários mais altos 04/04/2014 às 15:42
Show 1
Presidente do Fast Clube resolveu “bancar” a permanência de Lana no comando
Jornal A Crítica ---

Decepcionado com a atuação dos jogadores do Fast , o presidente do clube, Ednailson Rosenha, disse, após o empate de 3 a 3 com o Penarol, que “jogou a toalha”, “não confia mais no time” e que vai demitir os jogadores com os salários mais altos.

Depois de fazer uma das melhores campanhas no 1º turno do Amazonense, o Tricolor de Aço não conseguiu passar pelo Princesa do Solimões e acabou perdendo o título da Taça Amazonas - sem marcar nenhum gol nos dois jogos da decisão. E ainda não conseguiu vencer no returno (empatou com o Holanda e perdeu para o São Raimundo, na primeira e segunda rodada, respectivamente).

“Não confio mais neste grupo. Querem sabotar o Lana, mas eu vou provar que no Fast jogador não derruba técnico”, declarou o presidente.

Rosenha garantiu que a equipe não vai abandonar o Campeonato, porém vai continuar com um elenco menor.

“Decidi jogar a toalha, vamos continuar jogando, mas apenas para cumprir tabela. O Fast não merece isso, esses jogadores tem tudo aqui, os salários estão em dia e mesmo assim provaram que não tem honra com o time. Não são todos, mas a maioria”, completou.

Com uma derrota e dois empates do returno, o Fast soma apenas dois pontos. Mas ainda tem chances de chegar à final, para isso basta vencer os próximos dois jogos contra o Nacional e o Nacional Borbense e torcer pelo tropeço de Iranduba e Manaus. “Sei que ainda temos chances de classificação, mas como disse, não acredito mais nesse grupo. Se eles me prometerem que vão vencer o Nacional de 100 a 0 no sábado, eu não vou acreditar. A confiança acabou”, desabafou Rosenha.

Dos 25 atletas do clube, apenas 15 devem seguir no time.

“A maioria dos jogadores não tem compromisso com o futebol amazonense, estão jogando apenas pelo dinheiro e eu não aprovo isso. Sei que não são todos, mas já está decidido quem tiver os salários mais altos será demitido. Vamos ter um time mais barato e com uns 15 atletas no elenco”, comentou.

Sobre o técnico Aderbal Lana, Rosenha afirma que ele continua no comando da equipe, se assim desejar. “Qualquer pessoa no meu lugar já teria demitido o Lana, mas eu confio no trabalho dele. Sei que estão tentando sabotá-lo. Por isso, se ele continua à frente do grupo, se quiser, é claro”, ressaltou.

O Fast Clube teve o melhor ataque do primeiro turno, com um total de 18 gols, incluindo os jogos das semifinais. Mas desde a final contra o Princesa o time perdeu a pontaria e tem bastante dificuldades para marcar gols.

*Colaborou Paulo Ricardo Oliveira