Publicidade
Esportes
Craque

Londres 2012: Conheça a história de Fernando Saraiva Reis

O brasileiro que pega no pesado em busca de uma medalha olímpica 25/04/2012 às 12:11
Show 1
Fernando Saraiva Reis teve que engordar 30 quilos para competir no Pan
Adan Garantizado Manaus

Todo atleta iniciante procura ter uma referência no esporte antes de começar a praticá-lo. Mas, no caso de Fernando Saraiva Reis, a história é um pouquinho diferente. O brasileiro que fez história no Pan de 2011, ao conquistar a primeira medalha de ouro no levantamento de peso para o País, quer ser essa referência para as próximas gerações e acabar com qualquer preconceito que o esporte ainda sofra por aqui.

Fernando vai tentar a vaga para os jogos de Londres no Pré-Olímpico das Américas, em maio, na Guatemala. No mês de fevereiro, durante sua preparação, o halterofilista de 21 anos recebeu a equipe do CRAQUE nas instalações do Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo, e deixou bem claro seus objetivos.

Primeira vez
 “Nunca fui a uma Olimpíada. Mas tenho noção de que é um outro mundo. Estar em Londres será uma experiência muito boa e oportuna para que eu ganhe mais conhecimento. Meu grande objetivo é conseguir uma medalha olímpica competindo nos Jogos do Rio, em 2016. Vou lutar pelo meu sonho” garante Fernando. Treinando seis horas por dia, Reis trancou a faculdade nos EUA (ele é acadêmico de bussiness, em Lindenwood) para se dedicar a seu projeto olímpico.

“Vai ser a competição mais importante da minha vida. Quero estar muito bem ranqueado em Londres, para tentar pegar uma medalha em 2016”,<br/> garante.

 Peso pesado
O atleta precisou engordar 30 kg para ir ao Pan, regado a uma “dieta” que incluía arroz, feijão, bife e batatas fritas em seu café da manhã. O resultado, porém, foi satisfatório. Fernando levantou 410 kg, sendo 185kg no arranque (quando o atleta precisa levantar a barra do solo até acima da cabeça em um único movimento sem pausa) e 220kg no arremesso (onde o atleta traz a barra até as pernas, depois acima dos ombros na primeira parte e depois levanta o peso acima da cabeça e tenta se estabilizar por dois segundos <br/>em pé).

Recorde
Além da medalha dourada, o levantador brasileiro quebrou os recordes Pan-Americanos nas duas disciplinas e no geral.

“Foi uma conquista inédita para o Brasil. Só mostra que o resultado do trabalho vem dando certo. Eu estava muito preparado. Havia treinado muito, mas muito mesmo. Bem mais do que qualquer atleta que estivesse lá. Sabia que aquele era o meu momento”, relata Fernando, que apesar da pose de “durão”, não conteve o choro ao lado do pai Horácio no pódio. “Foi uma emoção muito grande cara. Chorei com meu pai, pois eu comecei a competir por causa dele”, lembra o atleta que ainda espera dar ainda muito mais alegrias aos brasileiros.

Fernando Saraiva Reis – Atleta
1 Ser o primeiro grande campeão em uma modalidade pouco difundida no Brasil é um peso maior do que os que você geralmente levanta?

É muito importante. Tenho essa responsabilidade de passar uma boa imagem da modalidade. Quem sabe, no futuro, a gente conquiste mais adeptos. As conquistas e a difusão na mídia do levantamento de peso podem trazer novos praticantes. Desde garoto sempre ouvi falar muita coisa negativa sobre o levantamento de peso. Que não faz crescer, que atleta é burro. Que é lesivo. Minha preocupação é quebrar esses paradigmas e mostrar uma imagem positiva do esporte. Esporte é saúde.

2  E como você se sente sendo esta referência no levantamento de peso brasileiro?
O sentimento é ótimo. Fico muito feliz. Treino desde os 11 anos de idade. O atleta tem que se privar de muita coisa. Hoje só existe um número 1. E no momento aqui nas Américas sou eu.

 3  Sua família e amigos não se aproveitam de você pedindo que carregue coisas pesadas ou ajude na mudança?
(Risos). Isso acontece muito. Volta e meia alguém de me chama pra ajudar na mudança, pra carregar coisas. Digo que sou atleta e não carregador (risos),