Publicidade
Esportes
Craque

Londres 2012: Ex-velocista revela todo o seu amor pelo voo livre

O CRAQUE acompanhou Robson Caetano na subida dos 520 metros da Pedra Bonita, em São Conrado, no Rio de Janeiro 30/05/2012 às 09:48
Show 1
Depois de conquistar medalhas em duas Olímpiadas, Robson Caetano aproveita para curtir a natureza
Adan Garantizado Manaus

Dois bronzes Olímpicos, dois ouros Pan-americanos, um na universíada (Olimpíada universitária), três conquistas em Copas do Mundo, 23 títulos brasileiros e um recorde sul-americano que já dura 24 anos... Robson Caetano fez história durante sua carreira no atletismo, “voando baixo” nas provas de 100 e 200 metros rasos para conseguir todas as conquistas citadas aí em cima. E mesmo após encerrar a carreira, o ex-atleta continua “decolando”. Apesar de agora, adotar uma velocidade bem “menor” e não ter onde pisar. Não entendeu?

 Então o CRAQUE explica. Nossa equipe acompanhou Robson na subida dos 520 metros da Pedra Bonita, em São Conrado, no Rio de Janeiro. Lá ele mostrou sua habilidade “secreta”: o voo de asa delta.

“Isso aqui era um sonho de menino. Todo mundo sonha em voar. Já fui tão viciado que chegava a saltar oito vezes por semana”, revela Robson, que voa desde 1991. O comentarista de atletismo da Rede Record possui seu próprio equipamento (que pesa 40kg) e tem todo cuidado para montá-lo. De sua casa, no Recreio dos Bandeirantes, Robson monitora as condições de voo. O ex-velocista garante que a sensação de um passeio de asa delta sobre a capital carioca é semelhante a de uma conquista de medalha.

“Isso aqui é paradisíaco, cara. Tem vezes que passo mais de duas horas aqui, relaxando. É algo diferente e único, assim como uma medalha. Não tem como descrever. Só quem voa sabe. É inenarrável”, afirma.

Robson Caetano medalhista olímpico e comentarista da Record

1 Como você avalia os velocistas brasileiros nos Jogos de Londres?
Eu acredito muito no Bruno Lins. Ele é um ótimo atleta. Se ele vai fazer a diferença é outra história. Ainda depende muito dele pra fazer boas marcas, mas, ele tá no caminho certo.

2 O revezamento 4x100 vem conseguindo bons resultados. Dá pra sonhar com medalha?
 
Estou empolgado. O time é bom, mas a euforia precisa ser contida. Eles precisam evitar jogar para cima deles a cobrança desnecessária.

3 Alguém vai ‘parar’ o fenômeno Usain Bolt?
Só quem pode ganhar dele é o Tyson Gay (EUA). De resto, não tem pra ninguém. O moleque é muito bom e se comporta como campeão.


Perfil - Robson Caetano da Silva

Idade: 47 anos

Naturalidade: Rio de Janeiro-RJ

Altura: 1,85

Peso: 82 kg

Modalidade: atletismo

Títulos: Dois bronzes olímpicos (200 m rasos em Seul 88 e revezamente 4x100 em Atlanta 96). Ouro na Universíada 89 (200m rasos). Dois ouros Pan-americanos em Havana 91 (100 e 200m).