Publicidade
Esportes
Craque

Lutador amazonense descansa enquanto aguarda acerto de luta

Guerreiro da X-Gym, Jacaré, curte a família em seu apartamento na cidade maravilhosa. Ele mora com a mulher Larissa e os filhos Enzo Gabriel e Ryan 13/10/2012 às 09:55
Show 1
Dedicação: Jacaré curte momentos de lazer com os filhos em sua casa
Paulo Ricardo Oliveira ---

Convidado vip do UFC Rio 3, o capixaba criado em Manaus, Ronaldo Souza dos Santos, o Jacaré, 32, é um exemplo notório de que a luta pode mudar a vida do atleta da água para o vinho. 

Não se pode dizer, no entanto, que Jaca, como é chamado pelos mais íntimos, está milionário. Mas o lutador, que tem um dos maiores salários do Strikeforce - pertencente à Zuffa, mesma empresa dona do Ultimate -, vive uma fase econômica razoável, suficiente para oferecer boa moradia, conforto e qualidade de vida aos seus no Rio de Janeiro, onde fixou residência.

Jacaré mora com a mulher Larissa e os filhos Enzo Gabriel, dois anos, e Ryan, sete meses, num bom apartamento próximo à praia, no Recreio dos Bandeirantes, zona Oeste carioca, um dos pontos mais valorizados em termos imobiliários. O faixa-preta de jiu-jítsu tem carro, pôs os filhos em colégio particular e paga saúde privada para a família. “É para isso que a gente trabalha. Eu ralei muito, cara, muito mesmo. Só eu sei o que já passei na vida. Até os 20 anos eu ainda andava de ônibus em Manaus, sem grana, mas nunca deixei de acreditar no meu potencial no jiu-jítsu”.

Ainda incerto sobre a data da próxima luta no Strikeforce, Jacaré aproveita o tempo vago para exercitar a paternidade, mas não dispensa convites para seminários Brasil afora e em outros países.

“Quando fico muito tempo sem lutar e com incertezas sobre meu próximo compromisso, fico um pouco irritado, porque eu treino sem definição. Mas parece que isso vai acabar, pois há uma previsão de eu lutar em janeiro, mas ainda não sei contra quem”.

Embora deseje trabalhar mais intensamente, Jaca tem feito uma média de duas lutas por ano. Se o dinheiro não entrar por um lado, por outro ele se preserva de lesões, de desgaste muscular e pode dedicar mais tempo à família. Conforme Leandro Paiva, autor do livro "Pronto pra Guerra" (OMP Editora) o ideal é que o lutador de MMA tenha seis meses entre uma luta e outra para se recuperar e competir em alto nível.

Compromissos e renda

Jacaré tem marcado um ciclo de seminários de jiu-jitsu que inclui o México e cidades brasileiras, a exemplo de Fortaleza. Em média, ele diz cobrar R$ 5 mil por evento. “Modéstia a parte, em jiu-jitsu eu sou mestre”.

Na última vez em que entrou em ação na jaula de formato de hexágono do Strikeforce, o lutador da X-Gym ganhou US$ 94 mil (R$ 189 mil) pelo nocaute em Derek Brunson em apenas 41segundos de combate.