Publicidade
Esportes
Craque

Manaus pode sediar brasileiro de Muay Thai em 2013, diz Mariano

O mestre Artur Mariano, um dos ícones do Muay Thai brasileiro, concedeu entrevista durante sua visita a Manaus. Ele falou, entre outras coisas, sobre MMA e a difusão do boxe no país 16/12/2012 às 19:49
Show 1
Os professores Rodrigo Saavedra e Dídimo Neto (foto) , ambos da Champions Factory Academia são filiados a Confederação Brasileira de Muay Thai e estão habilitados a ministrar aulas em Manaus
Lorenna Serrão Manaus

Mestre Artur Mariano, presidente da Confederação Brasileira da Muay Thai esteve em Manaus neste fim de semana para participar da graduação de 60 alunos da academia Champions Factory Amazônia. Durante o evento os alunos passaram por um teste físico e técnico e ao final os aprovados receberam o Kruang de graduação (branca ponta vermelha e vermelha).

O Fundador da primeira escola de árbitros de MMA do Brasil e comentarista do canal Combate e do Sportv, ele conversou com o Portal acritica.com e explicou o motivo pelo qual a Muay Thai virou uma febre mundial entre homens e mulheres, também falou sobre o crescimento da modalidade e sobre o sucesso do MMA.

É cada vez mais comum encontrarmos homens e principalmente mulheres praticando Muay Thai. Como você explica essa procura pela modalidade?

As meninas procuram o Muay Thai porque é uma luta dinâmica, a cada dia você faz um trabalho diferente. Algumas pessoas que não gostam de ir a academia fazer musculação acabam optando pela modalidade. E os homens, com o crescimento do MMA também buscam este desporto por ser a luta mais completa em pé, já que trabalha o boxe, cotovelo, o joelho e chute. Além de servir como defesa pessoal.

E em relação às competições, qual é o ranking do Brasil, nós temos bons representantes?

O Muay Thai cresceu muito e  graças a Deus a confederação tem levado os atletas para participar de grandes eventos internacionais, como o mundial na Tailândia e temos conseguido bons resultados, como medalhas de ouro e prata.


Você veio a Manaus participar de um evento de graduação de 60 alunos. O que você tem a dizer sobre o trabalho que é realizado aqui?

Gostei do que vi em Manaus, o Rodrigo (dono da Champions Factory Amazônia) desenvolveu um ótimo trabalho. Tem muito aluno bom entre os que foram graduados no sábado com condições técnicas excelentes, são iniciantes ainda, mas sem duvida tem um futuro promissor.

Você sempre participa desses eventos de formação de novos atletas?

Nós rodamos o Brasil com este evento, que tem a intenção de ajudar no crescimento da modalidade no país de uma forma ordenada. E é importante falar que todos os alunos são filiados a Confederação, não é aberto a qualquer pessoa, os alunos precisam frequentar uma academia regularizada e filiada a CBMT.

Existe alguma possibilidade de Manaus sediar alguma competição nacional nos próximos anos?

Sim, com certeza. O professor Rodrigo Saavedra  e o professor  Dídimo Neto estão muito próximos da Confederação e eu acredito que em 2013 nós possamos realizar uma etapa do campeonato brasileiro aqui em Manaus ou quem sabe nos próximos anos.

Muitas pessoas acreditam que o MMA “roubou” o espaço do boxe no cenário esportivo. O que você tem a dizer sobre esta questão?

O que aconteceu é que o boxe estava caindo, ficando sem ídolos e o MMA tem muitos ídolos, em todas as categorias. Tem atletas conhecidos no mundo todo e isso não acontece no boxe, que hoje tem poucas referencias. Eu acredito que o boxe não tem como competir com o MMA, mas isso não significa que ele não tem espaço.