Publicidade
Esportes
Craque

Maratona do Brasileirão: Fluminense está cada vez mais próximo do título

Na rodada do fim de semana, o Nense passou um sufoco danado ao tentar atravessar a perigosa Ponte Preta. Parecia que a equipe campineira daria uma bela rasteira no Tricolor e ajudaria os rivais  16/10/2012 às 09:04
Show 1
Gum e Fred comemoram gol do Fluminense
Adan Garantizado Manaus

Os 20 competidores da maratona do Brasileirão estão cada vez mais próximos da linha de chegada. Enquanto alguns ainda esbanjam fôlego para lutar por um lugar ao sol, outros estão apenas “aguardando a hora” e não ressuscitam nem com choques de desfibriladores.

O Fluminense vem cada vez mais absoluto para ser o primeiro a ultrapassar a linha, colocar a medalha de ouro e a faixa de campeão no peito e promover um carnaval de cores. Na rodada do fim de semana, o Nense passou um sufoco danado ao tentar atravessar a perigosa Ponte Preta. Parecia que a equipe campineira daria uma bela rasteira no Tricolor e ajudaria os rivais.

Mas o árbitro Nielson Dias resolveu “entrar no game” e em dois lances polêmicos “virou” o jogo a favor da equipe carioca e mandou a macaca ir jogar cascas de banana nos galhos da zona intermediária, onde fica aquela turma que “só quer terminar a prova”.

O Flu lidera com nove passadas de vantagem para o Atlético-MG, que também “penou” bastante em um duelo recheado de emoção (e que teve sua pitada de polêmica) contra o agonizante Sport. Os pernambucanos começaram mordendo o Galo e seguravam o resultado, quando Leonardo saiu do banco de reservas e aplicou dois “mata-leões”, decretando o resultado que afundou de vez a equipe rubro-negra.

O Leão deixou o campo “mordido” (ou seria bicado) reclamando de dois pênaltis não marcados. Mesmo com a  longa distância, a fanática torcida do Galo ainda acredita em um sprint final digno de Usain Bolt na arrancada para o título. Dizem as más línguas que os atleticanos também acreditam em papai Noel, mula-sem-cabeça, discos voadores e em vitórias do Felipe Massa...

O Grêmio, que ainda sonhava em colocar as mãos no caneco do Brasileirão, negou fogo dentro de casa, com o Olímpico cheio. O Botafogo de Oswaldo de Oliveira (treinador que é capaz de colocar o jogador mais lúcido da equipe, Seedorf, no banco de reservas), arrancou o empate no finalzinho e manteve tudo “paradão” como estava. O Tricolor Gaúcho é 3º colocado com 57 pontos e o Bota é o oitavo, com 41.

Pernada
O Vasco passou o campeonato inteiro correndo no pelotão de elite do G-4. Mas, desde que faltou água em São Janu, a equipe perdeu o fôlego. No fim de semana, diante do Santos sem Neymar, o bacalhau pegou dois sarrafos do argentino Miralles e sucumbiu na Vila Belmiro. Quem agradece é o São Paulo, que após bater o cruzmatino no meio de semana, podou os restos mortais do Figueirense no Morumbi e entrou no grupo que vai para a Libertadores de 2013.

A distância entre o São Paulo e Vasco é de apenas dois pontos e promete ser a mais quente da reta final da maratona. Na zona dos perdidos, o dragão do Atlético-GO suspirou ao bater o bipolar Internacional por 3 a 1. Já o porco do Palmeiras está prestes a ganhar a marca no corpo de “carne de segunda” e virar feijoada a ser servida nas terças, sextas e sábados. O Náutico que só queria ficar na série A, aproveitou e o venceu por 1 a 0.

5% de risco de queda têm o Flamengo, que anda brincando com a sorte e “pedindo” para entrar no Z-4. Com atuações horríveis, o urubu é 15º colocado. No sábado, empate em 1 a 1 com o Cruzeiro.