Publicidade
Esportes
Craque

Maratona do Campeonato Brasileiro de 2012

Vacilo tricolor, vexame rubro-negro, tropeço são-paulino, ressurreição baiana, recado corintiano, estagnação do Galo. A 21ª rodada ficou marcada pelo surpreendente e pela decepção em alguns casos 04/09/2012 às 08:33
Show 1
Emerson Sheik foi expulso no clássico Corinthians s Atlético-MG e xingou muito o árbitro Péricles Bassols
Paulo Ricardo Oliveira Manaus

Vacilo tricolor, vexame rubro-negro, tropeço são-paulino, ressurreição baiana, recado corintiano, estagnação do Galo. A 21ª rodada do Brasileirão ficou marcada pelo surpreendente e pela decepção em alguns casos. Ah, teve também o exemplo notório de ira e falta de respeito do atacante Emerson Sheik que, após ser expulso no clássico Corinthians 1 x 0 Atlético Mineiro mandou xingamentos sonoros, como “ladrão, safado e f.d.p.”, em direção ao árbitro Péricles Bassols.

O Fluminense deixou escapulir das mãos  - ou dos pés, melhor dizendo - a condição de líder isolado. Quando os tricolores já brindavam o chope da liderança na tabela com 2 a  0 sobre o Figueirense, eis que uma lanterna no fim da fila acende e o moribundo Figueira dá um suspiro de sobrevida, na verdade dois, acabando com a alegria de Abel & Cia. Se o Fluminense fez feio no sábado, o Vasco voltou a brilhar no Brasileirão, coincidentemente no primeiro dia de setembro. Foi só agosto terminar para Alecsandro e Tenório balançarem as redes na boa - e fundamental - vitória sobre a Portuguesa, em São Januário. 

E o rubro-negro? Que situação vexatória no Beira-Rio. Ensaiou um fogo de palha com Vagner Love, mas levou um sarrafo, de virada, por 4 a 1 do Internacional, com direito a dois gols do uruguaio Diego Fórlan, melhor jogador da última Copa do Mundo. O atacante, que não havia marcado um gol sequer com a camisa colorada, achou de desencalhar justamente em cima do Flamengo, que já vinha de dois empates sem graça. A derrota piorou a situação do clube, que ficou na 12ª colocação, trazendo um clima tão pesado quanto incerto à Gávea. Só mesmo a expectativa em torno da volta de Adriano para afagar o coração do flamenguista mais cego e apaixonado. Mas o atacante já anda faltando aos treinos. Esse é o Imperador que conhecemos... Será que a história vai se repetir? Vai ver é perseguição “dessas pessoas ruins”, como ele mesmo já disse no passado.

 Tensão
 O jogo mais tenso da rodada envolveu o duelo entre o badalado Emerson Sheik e o bajulado Ronaldinho Gaúcho. O Corinthians ganhou por 1 a 0, mas teve expulsão para ambos os lados, xingamentos contra o árbitro e reclamações contra a atuação de Bassols. Houve realmente lances que suscitaram análises mais, digamos, profundas. Porém, o resultado, favorável ao staff de Tite, mostrou que o Corinthians está vivo e foi à nona colocação, disposto a chegar entre os quatro primeiros nas rodadas seguintes.

Depois de três vitórias consecutivas e próximo do G-4, o fabuloso São Paulo - sem o Fabuloso, que cumpriu suspensão - tropeçou diante do embalado Bahia fora de casa por 1 a 0. O Tricolor de Luiz Fabiano ficou em quinto lugar, com 34 pontos, e enfrentará o Internacional na próxima rodada. A equipe baiana estava no “grupo da queda”, mas colocou lenha na esperança de avançar no certame com duas vitórias seguidas.

O Galo era a “menina dos olhos” dos analistas da elite do futebol brasileiro, mas com dois empates e uma derrota nos últimos três jogos, dá sinais que já não cisca com tanta maestria dentro de campo. O time degringola na medida em que seu técnico começa a esquentar a Cuca com os resultados adversos. A próxima rodada vai ser decisiva para algumas posições na tabela. Bahia e Atlético-MG, São Paulo e Internacional e Fluminense e Santos são os jogos que mais chamam a atenção neste meio de semana.