Publicidade
Esportes
Craque

Mesatenista amazonense treina forte em busca da 4ª e última participação nas Olimpíadas

De olho nos Jogos de 2016, a amazonense encara uma rotina pesada de treinamento. Tudo para garantir uma vaga e ter a oportunidade de representar o Brasil em casa 05/01/2014 às 15:36
Show 1
Mesatenista Lígia Santos
Lorenna Serrão Manaus, AM

Ela se tornou atleta por acaso aos 13 anos e, aos 17, em busca de novas oportunidades, resolveu trocar Manaus por Santos (SP) e se revelou uma das melhores mesatenistas do Brasil. Hoje, aos 32 anos, Lígia Santos - a amazonense recordista em Olimpíadas, com três participações (Sidney 2000, Atenas 2004 e Londres 2012) – conversou com o CRAQUE, falou sobre o sonho de participar dos Jogos do Rio de Janeiro, em 2016, e também sobre o que vai fazer depois de “pendurar” as raquetes.

Formada no curso de Educação Física, a pioneira Lígia Silva afirmou que o tênis de mesa brasileiro passa por uma grande renovação e que está bastante tranquila quanto a isso.

“Toda modalidade precisa passar por uma renovação, e no tênis de mesa não seria diferente. Novos atletas estão surgindo e sendo preparados para representar o Brasil em grandes torneios. Não é uma tarefa simples, o processo é longo, mas sou muito tranquila quanto a isso, pois sei que à hora de ganhar sempre chega”, disse a amazonense.

De olho nos Jogos de 2016, a amazonense encara uma rotina pesada de treinamento. Tudo para garantir uma vaga e ter a oportunidade de representar o Brasil em casa.

“Sei que conseguir uma vaga para os Jogos de 2016 não será fácil, afinal a concorrência é muito grande. Todos os atletas brasileiros sonham em disputar uma Olimpíada aqui. Mas estou treinando muito, estou totalmente focada”, revelou.

Caso conquiste a vaga para Rio 2016, Lígia vai participar pela quarta vez de uma Olimpíada e deve se aposentar logo após o final dos Jogos. Mas ela já sabe exatamente o que vai fazer quando parar de jogar.

“Já estou dando aula em Santos, sou formada em Educação Física. Estou me preparando para isso (aposentadoria), quero que essa transferência seja o mais natural possível”, completou

Morando em Santos há mais de dez anos, a mesatenista conta que mesmo de longe acompanha o crescimento da modalidade no Amazonas. “Eu vivo do tênis de mesa e acompanhando tudo. Torço para que o esporte cresça cada vez mais no Amazonas, quero o bem de todos”, contou a mesatenista manauense.

Pioneirismo

Lígia deixou Manaus para ir em busca de novos desafios, mas principalmente para realizar o sonho de representar o Brasil em torneios internacionais como Olimpíadas e Jogos Pan-Americanos. E com talento e determinação, ela conseguiu muito mais do que esperava, por isso, a possibilidade de voltar a morar na capital amazonense é algo distante.

“Não sei o dia de amanhã, desde o início fui muito bem recebida em Santos, sempre tive muito apoio e incentivo, sou muito grata e meus projetos estão aqui. Mas se tiver que voltar para Manaus espero sempre poder contribuir para o desenvolvimento do esporte”, completou a mesatenista amazonense.