Publicidade
Esportes
Craque

Mesmo com dinheiro liberado, obras na Colina nao deverão começar antes de outubro

Estádio da Colina será totalmente demolido e o São Raimundo vai ganhar uma novra praça de esportes mas ele deverá ficar pronto no final de 2013 19/06/2012 às 08:46
Show 1
Vista aérea do Estádio da Colina
Carlos Eduardo Souza Manaus (AM)

Mesmo com a liberação de R$ 21 milhões por parte do Governo Federal para a construção do Estádio da Colina, as obas não deverão começar antes do mês de outubro. Isso porque a obra ainda não foi licitada e, somente esse processo demora cerca de 50 dias.

O dinheiro vai ser liberado via Ministério do Esporte pela Caixa Econômica Federal, que vai analisar o projeto para, posteriormente, liberar parte do dinheiro para o início da obra.

Como o mês de junho já está chegando ao fim, somando o processo licitatório e a demora na aprovação do projeto, isso poderá passar de três meses e, a obra, se todo o processo correr bem e sem recurso durante a licitação, a obra pode começar no mês de outubro.

“A partir do momento em que a presidenta Dilma liberou o dinheiro começamos a trabalhar. Tem uma equipe cuidando do assunto em Brasília, e junto à Caixa Econômica Federal, mas a liberação do dinheiro não é imediata”, afirmou a secretária de Esportes do Estado do Amazonas, Alessandra Campêlo.

O projeto foi elaborado por técnicos da  Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) e, de acordo com Alessandra Campêlo, mesmo com a experiência do órgão em elaborar projetos a serem financiados pela Caixa, o banco pode pedir alguma mudança e isso pode demandar mais tempo. Além disso, a Caixa não libera o dinheiro em uma só vez.

“O banco libera o dinheiro por etapas. De acordo com as medições o dinheiro vai sendo liberado. Esperamos que não haja problemas no projeto técnico. Confiamos na experiência dos técnico da Seinfra para em breve termos a licitação e depois o início das obras”, disse Alessandra.

O estádio da Colina, que pertence ao São Raimundo Esporte Clube, será um dos Campos Oficiais de Treinamento (COTs) durante a Copa do Mundo de 2014 e consistirá em um dos legados deixados pelo evento para a cidade de Manaus.

O projeto de reforma vai transformá-lo em um estádio com capacidade para 11 mil torcedores, dentro dos padrões e das exigências da FIFA para campos oficiais.

 O gramado, por exemplo, terá que ser igual ao utilizado nos campos de futebol das arenas da Copa. O estádio também terá estacionamento com 200 vagas e acessos exclusivos para os jogadores, imprensa e o público.