Publicidade
Esportes
Craque

Minotauro é sondado para UFC Rio 3; médica diz que peso pesado definirá na sexta se lutará

Minotauro respondeu positivamente e as duas partes estão conversando. A tendência é que haja um acordo quando o lutador voltar dos Estados Unidos, na sexta-feira 24/07/2012 às 19:04
Show 1
Médico examina Rodrigo Minotauro
UOL São Paulo (SP)

A volta de Rodrigo Minotauro ao octógono pode acontecer no Rio de Janeiro, em outubro, no UFC 153. Segundo apurou o UOL Esporte, o UFC entrou em contato com o lutador peso pesado para saber quais são as condições físicas dele atualmente, e se haveria possibilidade e interesse de voltar a lutar no Rio - ele participou da primeira edição do UFC Rio, em agosto de 2011.

Minotauro respondeu positivamente e as duas partes estão conversando. A tendência é que haja um acordo quando o lutador voltar dos Estados Unidos, na sexta-feira.

A principal preocupação da organização era quanto à recuperação do brasileiro da cirurgia a que foi submetido no fim do ano passado, no braço direito, já que era para ele ter lutado no UFC 149, no fim de semana passado, contra Cheick Kongo. No entanto, ele foi retirado do evento ao alegar que ainda sentia dores no local.

Segundo Angela Côrtes, fisioterapeuta de Minotauro, o lutador desembarca no Brasil na sexta-feira e terá uma conversa com ela. Deste papo sairá a decisão se ele irá, ou não, lutar no Rio em outubro. "Liberado ele está para lutar. Agora depende dele, se ele achar que dá. Se ele me falar que quer lutar, eu vou apoiar e ninguém mais segura. Eu estou esperando ele chegar aqui para a gente conversar. Vamos avaliar e ver qual é a vontade dele", afirmou, em entrevista ao UOL Esporte.

Vale lembrar que na preparação para o combate com Cheick Kongo o lutador também estava liberado do ponto de vista médico. Porém, quando aumentou a carga de treinamentos, a placa colocada na parte de trás de seu braço passou a incomodar, e ele foi retirado do card do UFC 149.

"A região que está a placa tem pouca massa muscular, e quando você tem um corte longitudinal, perde ainda mais massa. O que acontece é que quando ele levava um soco ali, sentia dor 10 vezes mais do que no outro braço. O corpo dele tem que se adaptar à esta situação", completou Ângela.

De acordo com pessoas ligadas à equipe do lutador, nas conversas do lutador com o UFC ainda não foi decidido um adversário caso ele esteja pronto para lutar no Rio de Janeiro.