Publicidade
Esportes
Craque

Na base do chuveirinho, Botafogo bate Volta Redonda

Time Alvinegro desperdiça chances, leva empate, mas usa jogo aéreo para confirmar segunda vitória seguida na Taça Rio 04/03/2012 às 17:27
Show 1
Herrera abriu o placar neste domingo em São Januário
Lance ---

O Botafogo precisou de Herrera e da jogada aérea para bater o Volta Redonda na segunda rodada da Taça Rio, neste domingo, em São Januário, por 3 a 1. Em um jogo com tempos distintos, o próprio Alvinegro complicou a partida que poderia ter sido resolvida ainda no primeiro tempo.

Depois de desperdiçar ao menos três chances nos primeiros 45 minutos, os alvinegros levaram o empate e tiveram , na etapa final, de recorrer ao chuveirinho para garantir o resultado.

Na próxima semana, o time comandado pelo técnico Oswaldo de Oliveira enfrentará o Bangu, em Moça Bonita. Já o Volta Redonda pegará o Bonsucesso, no Raulino de Oliveira.

QUEM NÃO FAZ, LEVA

A despeito da ausência do trio ofensivo formado por Elkeson, Maicosuel e Andrezinho, Oswaldo de Oliveira não abdicou de seu 4-2-3-1 e lançou Fellype Gabriel e Felipe Menezes e recuou Herrera. Loco Abreu, portanto, era a única referência no ataque.

Mesmo com jogadores mais avançados, o Alvinegro não conseguiu tramar lances mais incisivos nos primeiros dez minutos de jogo. O Botafogo tentou algumas jogadas pela direita, com as chegadas de Lucas, Fellype Gabriel e Herrera, mas sem sucesso.

Loco Abreu, então, resolveu sair da área para também ajudar na criação. E não demorou muito para o uruguaio encontrar Herrera  em boa condição para abrir o placar para o Fogão, aos 16 minutos do primeiro tempo. Foi, então, a primeira grande jogada da Dupla Mercosul, que jogava pela segunda vez em 2012.

Muito acionado no primeiro tempo, Herrera, talvez, tenha caprichado muito no toque por cima do goleiro Douglas no lance do gol. Isso porque, seis minutos depois, o argentino teve duas oportunidades em que também recebeu sozinho, mas desperdiçou.

Na primeira delas, aos 22, o atacante isolou ao ser assistido por Felipe Menezes bem próximo da pequena área. Depois, aos 24, ele foi lançado na esquerda e, ao tentar tirar do camisa 1 do Volta Redonda, chutou para fora.

Para se redimir, Herrera, então, optou por mudar de função, trocando os gols pelas assistências. Ele bem que tentou retribuir o passe dado a Loco Abreu. O camisa 13, porém, depois de ser lançado na grande área, se enrolou com a bola e foi travado pelo goleiro Douglas.

Nesse momento do jogo, o Botafogo já poderia estar até com uma vantagem de quatro gols. O fato de a zaga do Volta Redonda jogar em linha, facilitava as penetrações dos meias e atacantes do Alvinegro.

Faltava, então, concluir com mais eficiência as oportunidades e liquidar de vez a partida. Isso porque o Voltaço praticamente não ameaçava a meta de Jefferson.

O cenário, entretanto, mudou aos 39 minutos, quando o time de Oswaldo de Oliveira foi castigado pela falta de esmero nas finalizações e fez valer a velha máxima no futebol de quem não marca, acaba sofrendo.

Após escanteio cobrado da direita pelo Volta Redonda, o atacante Joabe testou contra o gol. Márcio Azevedo, em cima da linha, tentou tirar, mas a bola bateu em Jefferson e entrou. O árbitro assinalou gol contra do lateral-esquerdo alvinegro.

NA BASE DO CHUVEIRINHO

Nem as chances perdidas e muito menos o gol de empate do Volta Redonda provocaram mudanças no time do Botafogo para a segunda etapa.

Só mesmo o susto dado por Fellype Gabriel, aos oito minutos, que levou a pior na disputa de uma bola no alto com o atacante  Júlio Cezar, fez com que o treinador alvinegro mudasse.

O meia até suportou alguns minutos depois a dor causada pela pancada na cabeça, mas voltou a cair no chão e acabou dando lugar ao atacante Caio.

Como consequência, a estrutura do 4-2-3-1 estava teoricamente desfeita. O Alvinegro passou a ter três atacantes com Felipe Menezes sendo o único responsável pela armação.

Até a parada técnica, o Botafogo, apesar de ter quatro opções à frente, padecia de poder ofensivo. Marcelo Mattos e Renato, então, tentaram uma aproximação ao ataque para também municiarem o ataque.

Se no primeiro tempo o grande problema foi o erro nas finalizações, na etapa final o Botafogo se deparou com uma outra adversidade: a falta de objetividade. O time trabalhava em demasia a bola no entorno da área do Voltaço, mas sem conseguir uma jogada efetiva.

O Botafogo teve de recorrer, então, às bolas alçadas para a área na tentativa de encontrar Loco Abreu em uma boa situação.
Nesse altura do jogo, o Botafogo já tinha 26 bolas levantadas para a área.

Enquanto isso, restava ao Volta Redonda explorar a saída rápida no contra-ataque, aproveitando os espaços deixados atrás pela equipe alvinegra.

E de tanto insistir, o Botafogo conseguiu a virada com Herrera, de novo, e na base do chuveirinho. Depois do 27º lançamento para a área, Antônio Carlos desviou para o meio da área, onde se encontrava o atacante argentino. Ele só teve o trabalho de testar com força contra o gol de Douglas, aos 31 minutos.

Com a vantagem no placar, Oswaldo de Oliveira se resguardou e adotou a cautela para segurar o resultado. Oito minutos depois do gol de Herrera, o treinador sacou o meia Felipe Menezes e lançou Lucas Zen para fechar o meio.

No fim, Antônio Carlos acabou dando a tranquilidade necessária para o Botafogo encerrar a partida, marcando, também após jogada para a área, o terceiro gol do Alvinegro.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO  3 X 1 VOLTA REDONDA

Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 4/3/2012 - 16h (de Brasília)
Árbitro: João Batista de Arruda (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Luiz Antônio de Oliveira (RJ)
Renda e público: 1.301 pagantes
Cartões amarelos: Fellype Gabriel (BOT); Manteiga, Anderson Gomes, Naldo (VRE)
Cartões vermelhos: Não houve
Gols: Herrera 16'/1ºT (1-0), Márcio Azevedo, contra 39'/1° T (1-1), Herrera 31'/2°T (2-1), Antônio Carlos 44'/2°T (3-1)

BOTAFOGO: Jefferson, Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira, Márcio Azevedo; Marcelo Mattos, Renato, Fellype Gabriel (Caio 12'/2°T), Felipe Menezes (Lucas Zen 39'/2°T) , Herrera; Loco Abreu (William 34'/2°T) - Técnico: Oswaldo de Oliveira.

VOLTA REDONDA: Douglas, Marquinhos (Henrique 37'/2°T), Robson, Naldo, João Paulo; Roberto Andrade, Manteiga, Rafael Granja, Gláuber (Anderson Gomes 22'/2°T); Joabe e Jhonnattann (Júlio Cezar/ intervalo) - Técnico: Ricardo Drubscky.