Publicidade
Esportes
Craque

Nacional vence Vilhena e assume a ponta do Brasileirão da Série D

Leão da Vila Municipal rugiu mais alto que o Lobo do Serrado da Arena da Amazônia e bateu o adversário por 2 a 0. Com a vitória sobre o VEC, o Naça terminou a segunda rodada do Grupo A1 como líder pelo saldo de gols 19/07/2015 às 22:31
Show 1
Peter abriu o ferrolho do Vilhena e ajudou o Naça a assumir a ponta do Grupo A1.
Denir Simplício Manaus (AM)

Numa tarde onde teve homenagem da torcida a líder nacionalino, expulsão polêmica do goleiro adversário e até “Leão-Bumbá” no intervalo do jogo, o Nacional venceu o Vilhena-RO por 2 a 0, na Arena da Amazônia e assumiu a liderança do Grupo A1 do Campeonato Brasileiro da Série D, ao lado do Remo.

Com gols de Peter e Júnior Paraíba no segundo tempo, o Leão da Vila Municipal chegou aos 4 pontos na tábua de classificação - mesmo número de pontos do Leão paraense. Porém, o Naça tem saldo de dois gols contra apenas um do time de Belém. No próximo domingo (26), a equipe de Aderbal Lana visita o Rio Branco-AC, às 18h (hora Manaus), na Arena da Floresta, na capital do Acre, pela terceira rodada da competição. 

Jogo de paciência

O Naça começou o duelo com o Lobo do Cerrado investindo na pressão na saída de bola do adversário. Lana mexeu em meio time do Nacional em relação à equipe que ficou no empate em 1 a 1 com o Náutico-RR, em Boa Vista, e foi pro ataque com Felipe e Júnior Paraíba, além de Charles que chegava para ajudar a dupla de frente nacionalina. E foi justamente Charles que, aos 3 minutos, começou a testar o goleiro Naldo do Vilhena-RO, em forte chute de fora da área. No rebote, Felipe perde grande chance de abrir o placar do jogo.

Aos 15 minutos, o mesmo goleiro Naldo receberia o cartão amarelo por reclamação, punição essa que lhe custaria caro mais tarde. Aos 30, Júnior Paraíba, recebeu bom passe de Danilo Rios, avançou pela esquerda e chutou para boa defesa do arqueiro do VEC. Dois minutos depois, em cobrança de escanteio, Felipe cabeceia pra fora com gol quase vazio. A torcida começou a perder a paciência com o Leão e cobrou atitude do time. Charles ainda perdeu boa chance antes do fim do primeiro tempo.

Quando todos seguiam para o vestiário veio o lance que mudou a história pro Naça. Naldo, foi reclamar com a arbitragem por causa do cartão amarelo e acabou tomando o segundo. Resultado: cartão vermelho e expulsão do camisa 1 do Vilhena-RO. Sobrou até para o treinador Marcos Birigui, que foi tomar satisfação com o homem de preto e também foi mais cedo pro chuveiro.

Com um homem a mais em campo, o Leão foi com tudo pra cima do Lobo. Aos 4 minutos, João Rodrigo avança pela lateral e cruza fraco, a zaga fura e a bola acha Peter sozinho no segundo pau para abrir o marcador para o Naça. Sem poder de reação, o VEC pouco chegou ao ataque.

Tocando a bola com paciência, o Nacional achou o segundo gol aos 30 minutos, depois de triangulação de Danilo Rios pra Charles e depois pra Júnior paraíba fazer o segundo gol com muita tranquilidade e dar números finais ao duelo. Nando, do Naça, que entrou na vaga de Júnior Paraíba, ainda fez um golaço, mas estava adiantado. Final 2 a 0 pro Nacional e liderança garantida até a próxima rodada do Brasileirão da Série D.

Lana pede paciência

Tão logo acabou o jogo um batalhão de repórteres foi falar com o treinador Aderbal Lana sobre a vitória e a pressão de parte da torcida no final do primeiro tempo que cobrava mudanças no time.

“O torcedor amazonense precisa aprender a torcer futebol. Você pega um time que vem com um homem a menos no segundo tempo e se fecha lá atrás... você precisa trabalhar a bola, ter paciência. Mas o torcedor fica aqui atrás perturbando dizendo que têm que chutar... chutar não assim de qualquer jeito não. Isso perturba a gente pra caramba...”, desabafou o técnico, que em seguida elogiou o time do Nacional.

“O time fez aquilo que se deve fazer: tem de ter inteligência. Trabalhou a bola, surgiu o segundo gol e não teve quase que perigo algum por parte do time deles”, analisou Lana, se dizendo feliz com as atuações de Felipe e Lusmar no duelo contra o VEC. “Estou muito feliz com a forma com que o Felipe entrou... o volante Lusmar foi bem. O time se mostrou mais ofensivo do que no campeonato estadual... estou satisfeito com o que vi e acho que poderia ser um placar mais elástico”, comentou.

Lana também disse que teve de usar da ética pra mudar o Nacional aos poucos e deu a entender que mais mudanças devem ocorrer durante o Brasileirão da Série D. “Eu venho de um bicampeonato onde os jogadores se empenharam a fundo e eu não posso chegar no primeiro jogo e trocar jogadores, eu tenho de ter ética profissional. Estou procurando fazer isso e mudando a equipe devagar, inserindo alguns jogadores, mas fazendo isso tranquilamente pra acontecer o que está acontecendo que é a equipe crescer de jogo pra jogo”, finalizou.