Publicidade
Esportes
Só os 'cascas grossas'

Nata da 'Arte Suave' dá show no 30º Amazonense de Jiu-Jitsu

No 40º aniversário da Federação Amazonense de Jiu-Jitsu (FJJAM), entidade organiza 30ª edição do campeonato reunindo as feras do esporte Nº1 do Estado no final de semana na Arena Amadeu Teixeira 15/05/2017 às 10:00 - Atualizado em 15/05/2017 às 12:33
Show a11
Feras do Jiu-Jitsu deram seu espetáculo na Arena Amadeu Teixeira ( Fotos: Evandro Seixas)
Denir Simplício Manaus (AM)

O fim de semana na Arena Amadeu Teixeira foi de muita luta suor e Arte Suave. Cerca de 1.500 atletas de 60 academias disputaram o 30º Campeonato Amazonense de Jiu-Jitsu. A competição, que teve início no sábado (13), teve seu ponto máximo ontem, quando os faixas pretas lutaram nos oito tatames montados no ginásio poliesportivo.

“A disputa dos faixas pretas é o ápice do campeonato, tanto entre adultos, os Másteres e os Seniores, aqueles considerados como a velha guarda do Jiu-Jitsu. O campeonato foi muito bom, com um público bem bacana mesmo e muito bem organizado”, avaliou Márcio Pontes, mestre da Academia MPBJJ e treinador de feras como José Aldo, Ketlen Vieira entre outros.

Um dos árbitros do 30º Amazonense de Jiu-Jitsu, mestre Marcinho gostou do que viu.(Foto: Evandro Seixas)

 

Mestre Marcinho, como é conhecido, foi um dos árbitros da competição e explicou a importância do campeonato que marca os 40 anos da FJJAM.

“A Federação tem 40 anos e foi a primeira federação do Brasil, a que originou a Confederação (CBJJ) e, posteriormente, a International Federation (IBJJF), também ligada à CBJJ. Enfim, é o campeonato mais tradicional do Estado e o mais respeitado do Brasil também”, definiu Pontes.

Um marco pra Arte Suave

Responsável direto pela difusão do Jiu-Jitsu no Amazonas, o mestre Osvaldo Alves, 78, classificou a competição como um marco divisório no esporte vencedor do Estado.

“Esse campeonato me parece que será uma divisão do antes e do depois. É um marco pela organização, que tem nível internacional. Isso faz uma grande diferença e o nível técnico é muito bom. As pessoas que entraram nesse campeonato estão de parabéns”, analisou a lenda da Arte Suave explicando que as próximas competições organizadas pela FJJAM, no qual ele é o presidente, devem seguir os mesmos moldes.

“As academias vão receber premiação, os campeões absolutos receberam premiação em todas as categorias e vai ser assim daqui pra frente”, disse o mestre Osvaldo Alves analisando um pouco de sua trajetória na difusão do Jiu-Jitsu no Brasil.

Mestre Osvaldo Alves taxou como marco divisório o 30º AM de Jiu-jitsu (Foto: Evandro Seixas)

“Já trabalho há tantos anos com o kimono, desde os quatro pros cinco anos e nunca abandonei o kimono diretamente. Porque, além de ter minha vida como profissional do kimono, tive minha vida como professor, como treinador e treinei muita gente boa e o Jiu-Jitsu moderno, de uns 40 anos pra cá, deve muito ao Osvaldo Alves”, concluiu o mestre.

Destaque no triângulo de mão

Entre os faixas pretas que brilharam mostrando sua arte nos tatames na Arena Amadeu Teixeira, um atleta se destacou por ter vencido seus três combates por finalização e com o mesmo golpe: triângulo de mão.

Keny Pinheiro, 27, foi batendo seus oponentes um a um com muita técnica e precisão na categoria pena (até 70kgs). O atleta da Academia Osvaldo Alves teve a honra de receber sua premiação de seu próprio mestre logo após vencer no 30º Campeonato Amazonense de Jiu-Jitsu.

“Essa é uma posição que o mestre Osvaldo e ensinou e tenho praticado muito e por isso sempre chego com muita facilidade nessa posição”, comentou o atleta que mora no bairro Ouro Verde, na Zona Leste da capital.

Keny recebeu a premiação das mãos de seu mestre, Osvaldo Alves (Foto: Evandro Seixas)

Keny, que é atleta profissional de Jiu-Jitsu, mas também já se arriscou em competições de MMA, lembra que conheceu a fundo o Jiu-Jitsu pelos ensinamentos da lenda Osvaldo Alves.

“Comecei a lutar aos 13 anos e aos 21 anos fui pro Rio de Janeiro, onde conheci a academia do mestre Osvaldo e comecei a treinar lá. Fiquei cinco anos aperfeiçoando minha técnica e foi lá que aprendi o verdadeiro Jiu-Jitsu”, concluiu.

Resultado por academia na categoria Graduados:

1 - Orley Lobato
2 - Nova União
3 - Checkmat
4 - Gracie Barra
5 - Ass. Mascarenhas

Confira aqui o resultado geral do 30º Campeonato Amazonense de Jiu-Jitsu.

 

Publicidade
Publicidade