Publicidade
Esportes
Craque

Náutico marca no fim e bate o Botafogo nos Aflitos

Alvirrubro pernambucano abre 2 a 0, vê Botafogo empatar, mas é premiado com falha da defesa alvinegra no fim da partida 10/06/2012 às 20:18
Show 1
Náutico bate Botafogo nos Aflitos
Lancepress! Recife (PE)

Pela primeira vez não há uma virada em uma partida do Botafogo, mas certamente o torcedor alvinegro gostaria que a houvesse mais uma vez. Neste domingo, o Náutico abriu 2 a 0 e o time alvinegro conseguiu o empate na segunda etapa. Porém, no fim da partida, uma falha conjunta de Vitor Júnior e Milton Raphael determinou a derrota alvinegra por 3 a 2. Reação, terminando e plavares revertidos ou não, vem sendo a tônica dos jogos do time alvinegro.

O jogo começou bastante equilibrado e as equipes não se arriscavam muito no atque. Somente aos seis minutos, Andrezinho partiu em velocidade pelo meio de campo e lançou Herrera. Cara a cara com o goleiro, o argentino tentou por cobertura, mas Felipe fez uma boa defesa. Em resposta, rápido contra-ataque do Timbu, Elicarlos driblou Fábio Ferreira e chutou pelo lado direito do gol defendido pelo jovem Milton Raphael.

O Botafogo tentava trocar passes em velocidade, mas errava constantemente e permitia que o Náutico criasse perigo partindo nos contra-ataques. Aos 18 minutos, Souza tabelou com Araújo que invadiu a área e tocou na saída do goleiro Milton Raphael, marcando seu terceiro gol no campeonato.

Se o Botafogo não conseguia organizar um ataque perigoso, o gol da equipe da casa piorou a situação. O time se mostrava nervoso, em especial o sistema defensivo. O reflexo desse nervosismo era o goleiro Milton Raphael que se via em situações críticas sempre que a bola era passada para ele.

A segunda boa chance alvinegra veio apenas aos 28 minutos, quando Vitor Júnior cobrou belo escanteio e Fábio Ferreira cabeceou, mas o goleiro Felipe fez uma defesa segura no centro do gol. A defesa alvinegra, no entanto, seguia dando espaços para o Náutico. Elicarlos recebeu na entrada da área e chutou com perigo rente à trave direita.

Aos 31 minutos, o Botafogo teve um lampejo de bom futebol. Maicosuel retomou a bola no meio de campo e lançou Vitor Júnior em velocidade. O jogador fez boa jogada, passou por dois adversários e cruzou da linha de fundo para Herrera, mas a marcação impediu que Herrera chegasse na bola.

No minuto seguinte, a situação do Botafogo ficou pior. Auremir recebeu pela direita e lançou Rhayner na linha de fundo. O atacante cruzou para a área e o lateral-esquerdo Lúcio concluiu para ampliar o placar nos Aflitos.

ALVINEGRO REAGE, MAS LEVA CASTIGO NO FIM

O segundo gol do Timbu deu uma nova postura ao Botafogo, que se arriscou mais nos ataques em velocidade, mas o último passe e as conclusões não saíam como esperado e a equipe não conseguia diminuir o placar, o que quase aconteceu aos 38 minutos, quando Vitor Júnior cobrou falta pela esquerda e Brinner cabeceou no canto, mas o goleiro Felipe fez uma bela defesa com os pés.

No segundo tempo, o técnico Oswaldo de Oliveira colocou Elkeson no lugar de Andrezinho. Logo aos três minutos, Elkeson abriu para Lucas que cruzou no segundo poste e Márcio Azevedo completa com um belo chute cruzado para diminuir o placar e colocar o Botafogo de volta no jogo.

Aos sete minutos, Márcio Rosário cometeu falta em Elkeson na entrada da área e levou o segundo cartão amarelo e foi expulso. O próprio Elkeson cobrou a falta, mas a bola desviou na barreira sem levar perigo. Por conta da expulsão, o técnico Alexandre Gallo tirou o atacante Souza e recompôs a zaga com César Marques). Foi a segunda expulsão de Márcio Rosário em quatro jogos no Brasileirão.

A entrada de Elkeson e a expulsão de Márcio Rosário mudaram o jogo para o Botafogo. Aos 12 minutos, o meia cobrou falta na cabeça de Fábio Ferreira que empatou a partida para o Botafogo e colocou fogo de vez na partida, deixando aflitos os torcedores do Náutico.

No minuto seguinte, Renato recebeu pelo meio e chutou forte de fora da área. No canto direito, o goleiro Felipe faz uma bela defesa e coloca a bola para escanteio com um leve desvio. Aos 17 minutos, o reflexo de que o Botafogo estava mais vivo do que nunca na partida. Elkeson lança Herrera e o argentino deixa para Maicosuel, livre na grande área. O camisa 7 chuta em cima do goleiro alvirrubro perdendo grande chance de virar a partida.

A pressão do Botafogo seguiu e o Náutico se sentiu acuado. O time alvinegro mostrou bastante organização na tentativa pela virada. A troca de passes foi constante e com bastante velocidade.

Aos 33 minutos, um freio para a reação alvinegra. No meio de campo, Araújo recebe a bola e uma falta dura de Márcio Azevedo, que chegou chutando por trás. O árbitro expulsou o lateral-esquerdo do Botafogo, deixando as equipes com o mesmo número de jogadores. Para recompor, Oswaldo de Oliveira recuou Vitor Júnior para a lateral-esquerda e Lucas Zen no lugar de Maicosuel.

Aos 37 minutos, o Náutico achou o gol da vitória. O goleiro Felipe lança do campo de defesa e Romero desvia de cabeça e a bola sobra para Vitor Júnior que recua mal para o goleiro Milton Raphael que ficou no meio do caminho. Derley dribou o camisa 1 e marcou o terceiro do Timbu.

FICHA TÉCNICA

NÁUTICO 3 X 2 BOTAFOGO

Local: Estádio dos Aflitos, em Recife (PE)

Data/hora: 10/06/2012, às 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Héber Roberto Lopes (PR)

Assistentes: Thiago Gomes Brígido (CE), Pedro Martinelli (PR)

Cartões Amarelos: Márcio Rosário, Rhayner (NAU); Lucas (BOT)

Cartões Vermelhos: Márcio Rosário (NAU); Márcio Azevedo (BOT)

Renda/Público: -

GOLS: Araújo 17'/1ºT (1-0); Lúcio 32'/1ºT (2-0); Márcio Azevedo 03'/2ºT (2-1); Fábio Ferreira 12'/2ºT (2-2); Derley 37'/2ºT (3-2)

NÁUTICO: Felipe, Auremir, Márcio Rosário, Ronaldo Alves e Lúcio; Derley, Elicarlos, Martinez e Souza (César Marques - 14'/2ºT); Araújo (Romero - 36'/2ºT) e Rhayner (Siloé - 26'/2ºT). Técnico: Alexandre Gallo.

BOTAFOGO: Milton Raphael, Lucas, Brinner, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Jadson (Cidinho - 26'/2ºT), Renato, Maicosuel (Lucas Zen - 36'/2ºT), Vitor Júnior e Andrezinho (Elkeson - Intervalo); Herrera. Técnico: Oswaldo de Oliveira.