Publicidade
Esportes
Craque

‘Ninguém leva soco de graça’: Aldo apoia criação de sindicato de lutadores e salário fixo no UFC

Lutador amazonense segue a linha de pensamento de Vitor Belfort e é a favor do pagamento de salários mensais aos atletas e a sindicalização da classe 08/10/2015 às 10:54
Show 1
Zé Aldo apoia pagamento de salário mensal e criação de sindicato de lutadores do Ultimate.
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Não tá fácil pra ninguém companheiros. Pensando nos gastos com a preparação dos lutadores, o campeão dos penas do UFC, José Aldo, resolveu apoiar a ideia de Vitor Belfort e se disse a favor do pagamento de salário mensal aos atletas do Ultimate. Em entrevista ao site combate.com, o “Scarface” defendeu que a Organização deveria seguir os passos de esportes como futebol americano e basquete, que arcam com valor  fixo aos jogadores.

José Aldo, que é conhecido por bater de frente em várias ocasiões com o Ultimate, voltou a “alfinetar” a Organização. Desta vez, o maior campeão peso por peso do UFC afirmou que os atletas investem muito dinheiro na preparação antes das lutas e que a empresa de Dana White deveria pagar salário mensal aos seus funcionários – especialmente para os novatos.

“Apoio essa ideia, lógico. Na NFL (Liga de Futebol Americano), a Nike faz os uniformes, mas os clubes pagam salários aos aletas, na NBA (Liga de basquete) também é assim. Para os atletas que estão começando e não têm muitos ganhos, não recebem grande pay-per-view, a vida fica difícil”, lembrou Aldo.


O amazonense listou alguns gastos dos lutadores e disse que o pagamento do salário seria essencial para resguardar os atletas em caso de lesões. “O gasto é grande com preparador físico, treinador e sparring, pois ninguém, hoje em dia, vai para a academia levar soco de graça. Se isso (salário mensal) acontecesse, seria ótimo, senão, vamos levando. Querendo ou não, estamos sujeitos a lesões, podemos ficar muito tempo parados, o que prejudica o atleta, que só ganha quando está lutando. Se estiver machucado, a renda fica de lado. É bom sempre um patrocinador para apoiar, pois é isso que mantém o atleta”, alertou.

Aldo sindicalista?

Em julho passado Zé Aldo voltou a criticar as posições do Ultimate. Foi na apresentação dos uniformes dos lutadores do UFC – agora obrigatórios – da Reebok. Na ocasião, o pupilo de Dedé Pederneiras brincou e ao comparar a vestimenta com a dos personagens Power Rangers. Aldo volta a ser polêmico ao defender a criação de um sindicato de lutadores do UFC, mas adiantou que, por ora, não lideraria o movimento.  

“Ninguém falou comigo sobre sindicato, mas seria ótimo, é uma proteção aos atletas, o que poderia ajudar bastante. Ninguém cogitou isso. A classe dos atletas é muito desunida por ter aquele passado de rivalidades entres academias e modalidades. Claro que é diferente de antigamente, mas ainda há isso. É aquele coisa: farinha pouca, meu pirão primeiro. Se eu não lutar por um preço, amanhã vem outro e aceita. A desunião é grande, por isso não temos tantos ganhos”, comentou o campeão.


“Hoje eu não me vejo responsável por isso, com a cabeça voltada para isso. Tenho que viver a luta, sou campeão, não consigo colocar esse outro lado. Minha vida como atleta ainda está muito forte, é difícil para mim hoje, mas quem sabe um dia, quando eu parar. Procurarei estudar mais isso e, junto com outros, montar algo grande para ajudar os novos atletas”, disse Aldo, se esquivando de começar o movimento em prol dos funcionários do Ultimate, mas não descartando liderar o sindicato no futuro.