Publicidade
Esportes
Craque

Peladão 40 anos: Árbitro famoso e polêmico desde 1973 se despede de campeonato

A partida de despedida do árbitro mais antigo do Peladão, Paulo Jorge de Moraes, o Paulinho, foi no último final de semana, quando o Obidense venceu por 1 a 0 o Recanto do Jacaré 11/01/2013 às 12:08
Show 1
Paulinho se despede dos campos de futebol após carreira consolidada desde 1973
Lucio Pinheiro ---

Figura carismática do Peladão e ao mesmo tempo não tão bem quista entre os peladeiros mais exaltados, Paulo Jorge de Moraes, o Paulinho, levou mais uma partida arbitrada por ele para a sua galeria de história hilárias do Peladão.

A partida de despedida do árbitro mais antigo do Peladão na edição de 40 anos da competição foi no último final de semana, quando o Obidense venceu por 1 a 0 o Recanto do Jacaré. Pra variar, sobrou para o Paulinho.

Desde 1973 envolvido no Peladão, Paulinho já passou por poucas e boas. Por isso, ele garante que está acostumado com à fúria dos peladeiros durante suas arbitragens. “Isso para mim já é normal. Mas nas minhas partidas quem manda é o apito”, enfatiza.

Mas, por vias das dúvidas, o pequeno árbitro de 1,54 metros de altura achou melhor não esperar o que os atletas do Recanto do Jacaré queriam “argumentar” tão próximo do rosto dele, e deu no pé.

Aos 64 anos, Paulinho se orgulha de ter apitado 12 finais de Peladão. Fora da coordenação de arbitragem da competição desde 1998, o árbitro trabalha na competição agora sendo contratado diretamente pelas equipes.

Por R$ 150, que é dividido com mais dois bandeirinhas, Paulinho aceita o risco de reviver todos os perigos e histórias que o marcaram em 40 anos de Peladão. “É claro que como a responsabilidade do árbitro é maior, eu fico com um valor maior”, explica.

Apesar do porte físico e das ameaças dos boleiros em campo, Paulinho não se intimida. E é justamente das partidas em que ele mais se impôs que saíram os melhores causos da carreira do pequeno árbitro.

Um dos causos mais hilários da carreira dele aconteceu no campo do Vermelhão, no bairro Mauazinho, durante uma partida entre Ajax do Japiim e Mauazinho. Como o árbitro escalado não compareceu ao jogo, Paulinho (que acompanhava a partida) assumiu o apito e a bronca.

Sem cartões ele arrumou uma solução curiosa. “Vi uma banca de verduras próxima ao campo. Comprei um tomate com um lado amarelo e outro vermelho. No segundo tempo, quando o jogo esquentou, não tive dúvidas. Expulsei um jogador do Mauzinho usando o tomate. Acho que sou o único árbitro do mundo que fez isso”, brinca.

Paulinho se orgulha de ter sido o primeiro bandeirinha de uma final de Peladão. E duvida que alguém tenha participado de tantas decisões quanto ele. “Eu fui o cara do Peladão. Tipo Roberto Carlos”.