Publicidade
Esportes
Craque

Peladão 40 anos: Final da categoria feminina acontece neste sábado, em Manaus

Meninas do Apolo e do Grupo Sucesso serão as protagonistas da grande decisão, no Sesi, a partir das 16hfarão amanhã a final de maior rivalidade do torneio Feminino 28/12/2012 às 09:37
Show 1
Em 2010, o Grupo Sucesso levantou a taça em cima do Apolo, nos pênaltis
Lúcio Pinheiro Manaus

Na decisão deste sábado (29), às 16h, no Sesi, o Apolo Clube entra em campo em busca do tricampeonato e de se tornar o maior campeão da categoria feminina do Peladão. O problema é que o time vai enfrentar logo as meninas do Grupo Sucesso, especialistas em acabar com a festa da equipe de Petrópolis, e louquinhas para dividir com o adversário o posto de papão de títulos do torneio.

O torneio Feminino do Peladão é disputado desde 2005. Das sete edições que participou (não disputou o campeonato em 2005), está e a quinta que o Apolo Clube é finalista. Os dois títulos vieram nas temporadas de 2007 e 2008.

O mesmo time que hoje defende o nome de Grupo Sucesso foi campeão em 2009 como A. A. Nilton Lins, em cima do mesmo Apolo Clube. Em 2010, as equipes se cruzaram novamente, e o time do Parque das Laranjeiras, como Grupo Sucesso, levantou a taça outra vez.

Assim, essa história recente de sucesso do adversário só coloca mais pilha nas meninas do Apolo Clube e só aumenta a expectativa para a decisão.

Em 2010, o preparo físico e a técnica fizeram a diferença para o Grupo Sucesso. Com suas atletas “voando baixo”, o time levantou o troféu porque chegou mais inteiro nas cobranças de pênaltis, marcando 2 a 0.

Esse ano, o técnico do Grupo Sucesso diz estar satisfeito com o desempenho das atletas treinadas por ele. E avisou que a equipe manterá a mesma pegada no jogo final. “Nosso jogo é esse. Toque de bola envolvendo o adversário. Todos os jogos as meninas fizeram assim”, comentou o treinador.

Já o técnico do Apolo Clube, Márcio Carvalho, responde afirmando que o maior desafio do time dele na competição foi o jogo contra o atual campeão do torneio, o Salcomp, pelas quartas de final. Por isso, desta vez, o Grupo Sucesso não põe medo na equipe dele. “O Salcomp era o time a ser batido. Tinha a base toda da equipe campeã de 2011. O jogo com eles eu acredito que foi a final antecipada”, declarou.

Apesar da confiança, ele reconhece a qualidade do adversário. “O Grupo Sucesso já era um time bom. Ai contrataram da gente a Meire, a Patrícia Paulistinha, a Michele e a Fran, que eram a nossa base. Se tornou mais forte ainda”, comentou o treinador do Apolo Clube.

Para chegar ao tri, Márcio disse que espera das atletas dele a mesma vontade que elas demonstraram no jogo contra o Salcomp. “O Apolo chegou de novo. Querendo ou não, é a quinta final do Apolo em oito anos de competição. Sem contar que a primeira edição (em 2005) a gente não participou. O que vai prevalecer é a garra. Se jogarem como jogaram contra o Salcomp, será difícil nos vencer”, disse o treinador. Apolo Grupo Sucesso chegam à final com quatro vitórias. O ataque do time de Petrópolis balançou as redes 18 vezes, e o da Nilton Lins 17.

Vanda quer exorcizar o ano de 2010
A camisa 10 do Apolo Clube, a meio de campo Vanda, ainda carrega nas costas o peso de ter sido uma das vilãs na derrota do time em 2010 para o Grupo Sucesso. Vanda desperdiçou uma das cobranças de pênaltis na decisão. A atleta se defende alegando que se doou muito durante a partida e, quando foi cobrar a penalidade, já não tinha pernas para bater.

Mas quem pensa que ela vai fugir da responsabilidade a amanhã está enganado. “Se tiver pênaltis, vou bater. Naquele dia estava muito cansada e o campo estava molhado. Mas amanhã é outro jogo”, avisa Vanda.

A meio de campo jogou a temporada de 2011 pelo Grupo Sucesso, e esse ano retornou ao Apolo Clube para reforçar a equipe para o Peladão.

“As meninas do Grupo Sucesso têm qualidade. Vai ser um jogo pegado. Mas o time delas costuma se desestruturar psicologicamente quando as coisas começam a não funcionar. Como um passe errado por exemplo. Acho que aí nós podemos levar vantagem”, avalia Vanda.

Vanda já levantou a taça do torneio Feminino do Peladão três vezes. Amanhã ela pode ser tetra e apagar de vez da memória a decisão de 2010, virando o jogo a seu favor.

Zaga inabalável
 O Grupo Sucesso chega à final sem levar sequer um gol em toda a competição. Uma das responsáveis pela zaga blindada da equipe é a zagueira Vanessa. Além da beleza, Vanessa tem esbanjado em campo categoria na hora de afastar o perigo da grande área do Grupo Sucesso. Amanhã, a zagueira promete lutar para manter a invencibilidade do setor defensivo do Grupo Sucesso. “O sucesso do time é porque a defesa não fica só na zaga. Começa do meio campo, do ataque. E também pelo forte trabalho que fazemos. Quase todo dia treinamos, não paramos nem no Natal. É muito trabalho”, começa Vanessa.

Peça de confiança do técnico Robson Souza, Vanessa está no elenco do Grupo Sucesso desde 2011. Naquele ano, a equipe ficou em 4º lugar do torneio feminino do Peladão.

Se o destino insistir em levar a decisão do título para os pênaltis, Vanessa disse que está preparada para assumir a responsabilidade no momento de decidir quem bate. “Eu sou uma das cobradoras. Mas, a escolha depende muito de como cada jogadora termina a partida. Se eu estiver bem, eu cobro, sim”, afirmou a zagueira.