Publicidade
Esportes
Craque

Peladão 40 anos: Master e Feminino comprovam expansão do torneio na gestão de Arnaldo Santos

Acostumado a acompanhar a competição com um olhar de um cronista esportivo, Arnaldo fez um estudo aprofundado do campeonato para desenvolver a melhor maneira de dirigi-lo 28/12/2012 às 09:22
Show 1
Arnaldo Santos percebeu que era preciso criar uma categoria exclusiva para os jogadores acima dos 40 anos
Antonio Lima Manaus

Toda história tem um começo. E toda biografia uma trajetória. Nos 40 anos do maior campeonato de futebol amador do mundo, o caderno especial conta como surgiu as categorias Feminino e Master, que terão a final neste sábado, à partir das 16h, no campo do clube do trabalhador Sesi.

Tudo começou quando em 1998 o radialista Arnaldo Santos assumiu a coordenação do Peladão, após um problema de saúde do até então coordenador, Messias Sampaio. Acostumado a acompanhar a competição com um olhar de um cronista esportivo, Arnaldo fez um estudo aprofundado do campeonato para desenvolver a melhor maneira de dirigi-lo.

“Eu acompanho o Peladão desde a sua primeira edição como cronista esportivo. Eu tinha uma aproximação com o Peladão e com o seu criador Umberto Calderaro, ele sempre reunia as pessoas jovens e dava a oportunidade de falar e eu ficava fascinado. Quando entramos em 1998, eu passei com a minha equipe trabalhando três anos para entender melhor as raízes do Peladão. Como pensava os seus dirigentes; como era feito a competição; como iríamos organizá-la; quais eram os deveres e obrigações que deveriam ser cumpridos; onde estava a essência do Peladão que não podia ser modificada pela própria evolução de Manaus”, conta.

Nos três anos de observação e estudo, Arnaldo juntamente com a sua equipe, fez um levantamento estatístico do andamento da competição, e chegou à conclusão: 2,8 % do universo do Peladão eram compostos por jogadores entre 38 e 39 anos.

“Eram os famosos boleiros que viam caminhando na faixa dos 38 e 39 anos. e que não aguentavam mais correr com a garotada. E como esses boleiros se achavam craques, pelo fato de terem jogado em times bons, isso criava uma expectativa para eles . E pensei em criar a categoria Master, que é o grupo dos atletas que tem 40 anos”.

De acordo com Arnaldo, a categoria Master é o grupo que mais cresce nos números de participantes, ultrapassando hoje o numero de 100 equipes.

“E esta é uma categoria fantástica, porque é a que mais cresce. Hoje a categoria já ultrapassou 100 times. Isso é uma prova eminente que é um grupo que acolheu todos os bons jogadores que se divertem no final de semana. E porque não dizer que ainda continuam bons de bolas? Tudo isso é uma forma evidente que vimos para democratizar o Peladão, dando a chance de todos participarem”, lembra.

E como tudo na vida é necessário ter um brilhante toque feminino, a coordenação achou interessante também dar oportunidade para a mulherada.

“Depois fomos para o outro lado da moeda. A mulher não pode ser somente rainha ou uma mera torcedora. Ela tem e pode jogar futebol. Por isso criamos a categoria Feminina em 2005. Isso leva o Peladão a atingir todas as camadas de idades com números que impressionam”.

Em 2004, a categoria Master iniciou a competição com a participação de 56 equipes. O sucesso tem sido tão grande, que ao longo dos anos o numero só cresceu. Sinal dos tempos e do crescimento do Peladão.

Frase
“O Peladão é uma magia, porque organizar cerca de 300 jogos em um final de semana é coisa de outro mundo” Arnaldo SantosArnaldo também inseriu as crianças no Peladão com projetos ambientais".