Publicidade
Esportes
Craque

Peladão 40 anos: Relembre a trajetória da rainha de 1987

Socorro Santos lembrou do ano em que ela foi a majestade soberana do maior campeonato de peladas do mundo 28/09/2012 às 09:54
Show 1
Socorro Santos, a rainha de 1987, lembrou do ano em que ela foi a majestade soberana do
Nathália Andrade Manaus

“Foi uma conquista inesquecível na minha vida. Em meio a tantas outras moças bonitas, participando de um concurso de grande prestígio, a vencedora fui eu. Com muito orgulho, digo que fui Rainha do Peladão de 1987”, afirmou a nutricionista Socorro Santos, vencedora do concurso 25 anos atrás.

Uma história cercada de beleza, glamour e sonhos. O concurso de Rainha do Peladão, realizado desde 1974, sempre mexeu muito com o imaginário das moças amazonenses que mobilizam não só os times que representam, como também as famílias e todo o bairro, em busca do título de campeão nas quatro linhas e na passarela.

SONHO DE MENINA
Socorro Santos tinha apenas 14 anos quando foi eleita. “Eu era muito novinha, mal sabia o que queria da vida, mas de uma coisa eu tinha certeza: eu queria ser Rainha do Peladão e entrei com muita garra para vencer o concurso”, lembrou Socorro.

Como acontecia com a maioria das garotas na época, ela foi convidada pelos dirigentes do time, o Internacional Clube do bairro Santo Antônio. “Era tudo muito simples, os times e as rainhas tinham pouco apoio, quem mais incentivava eram os coordenadores, na época o Messias e o Roberto Sampaio”, destacou.

OS ENCANTOS
Da abertura ao encerramento, sem esquecer da premiação. O concurso de Rainha do Peladão atraia olhares de pessoas que pertenciam às mais diversas classes sociais, sem distinção. “Havia uma magia em torno daquilo ali, algo inexplicável. As famílias, a torcida, os populares, tudo era fascinante”.

Socorro Santos conta que a abertura era um dos eventos mais concorridos da cidade. “Era uma festa grandiosa, esperada pela cidade inteira. As pessoas se deslocavam com toda a família para a avenida Eduardo Ribeiro, no Centro, e as rainhas faziam o desfile inicial cercadas de pompa. No encerramento não era diferente. A festa era na beira da piscina do Olímpico Clube, que era muito bem frequentado e estava no auge, foram momentos de muita emoção”, relembrou.

SÓ BOAS LEMBRANÇAS
“Nenhum concurso da época tinha um prêmio tão bom quanto no Peladão. Ganhei um Fiat 147 e, como só tinha 14 anos, meu pai ficou com o carro, que foi muito útil para a família”, disse Socorro, que foi receber o prêmio acompanhada de Messias e Roberto Sampaio. Hoje, Socorro não esconde a Saudade quando vê notícias do Peladão. “Me vem todas as lembranças do meu tempo, minhas emoções, as expectativas. Até convidada para desfilar na Mangueira, no Rio de Janeiro, eu fui. O Peladão marcou minha vida”, finalizou. É como a mãe de Socorro, “dona” Francisca fez questão de dizer: “quem é rei, neste caso rainha, nunca perde a majestade”.

Lica Sampaio - Ex- Coordenadora Do Concurso
 “O Peladão foi, durante anos, a grande paixão  das nossas vidas. Foram mais de dez anos de dedicação e, ao longo desse tempo, o concurso foi se modernizando. Da época em que ele foi criado até a época que nós deixamos, em 1997, várias etapas se passaram. Todo caboclo é muito pávulo e eu, como amazonense, não sou diferente. Acredito que a minha presença lá, sendo a única mulher em meio a tantos coordenadores homens, trouxe credibilidade ao concurso de rainhas.

O Peladão era uma coisa muito grandiosa, lotávamos a Ponta Negra e as filas dos times eram enormes para a abertura e encerramento, com gente de todos os cantos da cidade, idosos, crianças, pessoas em cadeiras de rodas, não tinha tempo ruim. Não é à toa que o campeonato era a menina dos olhos do “seu” Umberto Calderaro.

Ele respirava aquilo e nós íamos junto com ele. O concurso cresceu tanto que chegou a ser mais importante que o próprio Miss Amazonas. Foi, sem dúvida, a minha maior escola e fundamentou minha profissão de relações públicas”.

Trajetória construída por musas
De 1974 para cá, quase 40 rainhas dos mais variados tipos físicos, foram eleitas, representando times de todos os cantos da cidade. Em uma história onde o item mais visado é a beleza plástica das candidatas, também é possível notar que, independente da época e de ser alta, baixa, loira, morena, magrinha ou de formas curvilíneas, um predicado é fundamental e faz toda a diferença no momento em que os jurados escolhem uma Rainha do Peladão: o carisma. Boa sorte às 506 candidatas do Peladão 2012.