Publicidade
Esportes
Poliesportivo, Automobilismo, Kart, Gabriel Silva

Piloto amazonense se destaca no Campeonato Paulista de Kart

A mais nova revelação do automobilismo amazonense tem 14 anos e abre mão de tudo para viver grandes emoções nas pistas 20/05/2012 às 15:23
Show 1
Fã do piloto Ayrton Senna, o amazonense Gabriel, almeja chegar longe nas competições
Nathália Silveira Manaus

Ele gosta de acelerar e viver nas pistas. Desde muito pequeno é apaixonado pela alta velocidade e abre mão de uma vida normal de um garoto de 14 anos, para investir no sonho de ser a mais nova revelação do automobilismo amazonense. Esse é Gabriel Silva, que foi pole position na segunda etapa do Campeonato Paulista de Kart 2012, e que ocupa a segunda colocação geral da disputa.

Na terra da garoa, o menino que disputa a categoria sprinter enfrenta 18 pilotos de várias capitais e acredita que pode liderar a competição na próxima etapa que será realizada em agosto. Bom, numa coisa temos que concordar: pinta e sobrenome de astro esse cara já carrega.

“Eu quero ser piloto pelo resto da vida. Não quero ser outra coisa. É esse meu sonho e é nisso que acredito. Minha inspiração é o Ayrton Senna da Silva”, disse o pequeno, quando se preparava para treinar no kartódromo da Vila Olímpica, seu reduto nos finais de semana.

“Treino aqui todos os sábados. Mas toda vez que tenho uma etapa no Paulista, vou para São Paulo uma semana antes e treino na Aldeia da Serra (kartódromo localizado em Barueri, São Paulo). Lá (SP) chego a fazer 200 voltas. Fico o dia todo na pista”, disse Gabriel, apontando Eduardo Rangel, de Sampa, como o piloto que dá mais trabalho e ocupa o primeiro lugar geral da competição.

Procurando patrocínio
Entre um acelerar e outro, Gabriel Silva também tentar conciliar seus treinos com os afazeres do dia-a-dia. Mas o estudante da nona série, confessa que devido a rotina pesada, já sente o peso da “vida de piloto”, como não ter tempo de sair com os amigos, ou mesmo de derrapar na escola.

“Devido eu ter que ficar uma semana longe da escola por causa do Paulista, não consigo acompanhar algumas matérias e isso me complica um pouco. Mas estou conversando com a diretora e vamos ver uma solução. E quanto as saídas com meu amigos, não tenho como. Mas não por meus pais não deixarem, mas porque sei e prefiro me dedicar aos treinos”, ressaltou o garoto.

Mas apesar de todo esforço e dedicação de Gabriel Silva para bater seus oponentes, existe um adversário que vai além das pistas: a falta de patrocínio. “Meu pai gasta por mês em torno de R$ 10 mil para eu ir ao Paulista. Mas ainda falta apoio. Os meninos que estão lá investem muito mais e ganham vantagem por isso, pois tem um carro melhor, um motor melhor”, considerou o garoto, que usa um motor Parilla emprestado para um Kart Birel e tem uma equipe em Manaus, o Bionicão e em São Paulo outra, a JVN.

Manoel Bento, pai do garoto, confessa que cogitou a ideia de desistir do sonho filho, mas que o potencial do garoto sempre fala mais alto. “Ele é bom, muito bom. Mesmo com tantos garotos que recebem ajuda e tem mais condições, ele manda muito bem no Paulista e sei que pode crescer ainda mais. Acredito nele. E não poderia deixar o sonho dele de lado nunca”, afirmou o pai coruja.

Números
A pontuação máxima que cada piloto pode fazer a cada bateria do Campeonato Paulista, que é composta de duas, é de 12 pontos. A competição tem seis etapas e ainda faltam mais três para terminar a disputa. A próxima é em agosto, no kartódromo Aldeia da Serra.

Promessa
O preparador de Gabriel, Vicente Bertoli, fez um bate-papo rápido com o Craque. Confira:

O senhor já foi preparador e acompanhou a carreira do Antônio Pizzonia (de 1991 a 1994) e do Hélio Castroneves (de 1989 a 1991). Após trabalhar com dois expoentes do automobilismo, como avalia Gabriel Silva ?
O Gabriel Silva está entre as melhores promessas que já passaram por mim. Ele é um excelente piloto. Você tira pelos resultados dele. Hoje, o Gabriel ocupa a segunda colocação geral, entre tantos outros que participam na Paulista e tem patrocínio de peso. Afinal, o automobilismo é um esporte cara. E além dele ser um bom piloto, e bater qualquer piloto da Paulista em dia de chuva, ele é um menino muito dedicado, que se esforça e vive para o esporte.

O que os outros pilotos com mais aquisição financeira tem, que o Gabriel não pode usufruir?
O motor dele, por exemplo, é alugado, pois um novo custa de R$ 7 a R$ 8 mil. É essa a média para um Kart Birel, com motor Parilla refrigerado de dois tempos de 125, que vem com radiador e bomba d‘água. Os pneus também são um gasto em tanto, pois tem que comprar para treinar e para a competição oficial. O que dá em torno de quatro a cinco jogos de pneus. Além disso, o pai dele investe numa equipe em São Paulo e aqui em Manaus.

Para ter o senhor como preparador físico, quanto que o pai de Gabriel Silva tem que lhe pagar mensalmente?
Bom, eu trabalho com mais quatro pessoas. Logo, meu preço é de R$ 800 e como eu disse além de mim, tem a equipe de São Paulo que deve cobrar muito mais. E apesar do trabalho profissional, cuido desse menino como se fosse meu filho. Ele é um garoto muito especial e que tenho certeza que se tiver investimento poderá crescer.