Publicidade
Esportes
Craque

Piloto de 14 anos promete dar trabalho aos rivais na Copa Super Kart, em Manaus

Gabriel Silva não passa despercebido pelos boxes do kartódromo da Vila Olímpica. O motivo é simples: com 1m53 de altura e um corpo franzino de 42 quilos, o menino chama atenção por ser o mais novo da competição 19/10/2012 às 11:43
Show 1
Piloto Gabriel Silva vem treinando firme para a próxima etapa da Copa Super Kart, em Manaus
Nathália Silveira Manaus

Gabriel Silva não passa despercebido pelos boxes do kartódromo da Vila Olímpica. O motivo é simples: com 1m53 de altura e um corpo franzino de 42 quilos, o menino chama atenção por ser o mais novo da Copa Super Kart. Entretanto, ao colocar o macacão, o capacete e entrar para acelerar na pista, o tamanho do garoto fica em segundo plano, pois sua arrancada nem de longe denuncia o pouco tempo no automobilismo. Na verdade, ele passa a ser confundido com um dos grandões da velocidade.

E é nesse contexto, de piloto promissor, bem como mirando o pódio, que Gabriel vem para a terceira etapa do evento, marcada para este domingo, às 9h, no kartódromo da Vila Olímpica  (avenida Pedro Teixeira, 400, Dom Pedro, Zona Centro-Oeste). “Não tenho medo por ser o menor e não vou abrir caminho para os mais velhos”, afirma Gabriel, que ontem não desperdiçou nenhum minuto e passou a tarde treinando e fazendo o acerto do carro.

“Hoje (ontem) consegui fazer o acerto do chassi e verificar o motor. O dia foi muito produtivo”, comentou o amazonense, que na primeira etapa do evento ficou na 11ª colocação e na segundo ‘estancou’ no 20ª lugar da competição, devido o eixo do carro ter quebrado no percurso. Por isso, tentando se prevenir de qualquer ‘derrapada’, o piloto que estava usando um kart Thunder nas duas primeiras provas, trocou a máquina para uma Birel, que contém formas mais arredondadas e aerodinâmicas, proporcionam maior velocidade ao conjunto e estabilidade a quem está pilotando.

“Hoje (ontem) foi a primeira vez que eu experimentei este carro e  gostei muito. Tenho certeza que com o Birel dá pra chegar mais próximo do primeiro lugar, principalmente com esse percurso do final de semana, que tem traçados baixos”, avaliou o garoto, que por precisar colocar 40 quilos de chumbo ao chassi, sente dificuldade na hora de fazer as voltas. A sorte do menino, entretanto, é que a disputa de domingo tem apenas um ‘S’, uma chicane e quatros retas altas, onde dá para meter o pé e acelerar o quanto puder.

“Com um traçado desse e um bom acerto do carro, já posso  pensar em bater o Adriano Pizzonia (vencedor das duas primeiras fases). Afinal, ele é o meu maior adversário, mas creio que tenho condições de derrubá-lo”, comentou Gabriel, que ainda disputa o Campeonato Paulista e está na segunda colocação do evento, faltando apenas oito pontos  para alcançar o primeiro colocado. A decisão será no próximo mês, dia 3 de novembro.