Publicidade
Esportes
Craque

Postura tática de Renato tem feito a diferença no meio campo

O Flamengo ocupa a 10ª posição na tabela do Campeonato Brasileiro e soma 44 pontos. Com os últimos resultados o clube escapou do rebaixamento 05/11/2012 às 18:25
Show 1
Renato deve ficar um mês sem jogar pelo Flamengo
Acritica.com Manaus (AM)

Renato Abreu é um dos jogadores mais importantes no atual sistema tático do Flamengo. Ao longo deste ano, o camisa 11 já desempenhou diversas funções no meio campo da equipe, atuando na frente ou mais recuado. E quando foi preciso, até na lateral esquerda o jogador atuou.

Mas nos últimos jogos do Rubro-Negro, Renato aparece como um segundo volante responsável pela distribuição de bola. E uma coisa é incontestável: o atleta tem mostrado qualidade e êxito na função.

"Talvez eu não tenha um vigor físico de um Adryan, que recém começou a carreira, de um Negueba, de um Thomás ou de um Luiz Antonio. Mas ainda tenho muito fôlego e sei ler muito bem o jogo. Sei a hora que posso e não posso ir", explica o atleta, que está com 34 anos.

Renato é sempre o atleta mais entusiasmado com os resultados positivos conquistados pelo time, assim como é também o mais abatido quando a vitória não vem.

O camisa 11 justifica esse comportamento dizendo que procura dar valor aquilo que sustenta a sua vida: o futebol.

"O gostar de vencer para mim é muito importante. Eu não gosto de perder em nenhuma circunstância da vida. Claro que temos que saber perder, mas eu não gosto. Então eu dou a minha vida dentro do campo. Esse é o meu trabalho, esse é o meu sustento", conta o Urubu-Rei.

No último sábado (03.11), após a vitória sobre o Figueirense, Renato fez a alegria de uma pequena torcedora que, ao lado de dezenas de outros fãs, berrava por ele nos alambrados do Raulino de Oliveira.

A menina, que segurava um cartaz com uma mensagem carinhosa, ficou emocionada quando recebeu de presente a camisa 11 usada por Renato no duelo.

"Vi uma menina de 10 anos, idade da minha filha praticamente, vibrando, torcendo e se emocionando com o resultado. Isso para mim é gratificante e fico emocionado de saber que estou vestindo uma camisa tão querida", lembrou o jogador, que, saudado pela Nação, fora o último a deixar o gramado naquela partida.

"É muito gratificante saber que o torcedor vem acompanhar a gente dia a dia, jogo a jogo e toda a nossa batalha. A gente sabe que sofreu muito no campeonato esse ano. Alguns torcedores desacreditaram, mas tem o pessoal que comparece nos estádios e sempre nos apoia. Isso é importante", comenta.