Publicidade
Esportes
Craque

Primeiro algoz diz que Spider "não olha mais pra ninguém" e só aceita revanche se desafiado

Anderson Silva é hoje o maior nome do MMA brasileiro e coleciona 15 vitórias consecutivas e o título da categoria dos médios do UFC 14/03/2012 às 10:10
Show 1
O lutador Anderson Silva
Uol/ Lutas ---

Anderson Silva é hoje o maior nome do MMA brasileiro e coleciona 15 vitórias consecutivas e o título da categoria dos médios do UFC. Mas isso não causa medo no mais antigo algoz e único brasileiro a bater o Spider, Luis Azeredo.

Os dois duelaram no Mecca World Vale Tudo, em 2000, em Curitiba, no Paraná. E Azeredo venceu por decisão dividida dos juízes.

"Foi uma luta muito dura e tive que mudar minha estratégia para ganhar dele. Decidi ir pelo caminho mais fácil, trabalhando o jiu-jistsu, que não era o forte dele. Fiz isso e dominei o combate. Quando ele boxeava, eu jogava ele pra baixo", lembra o lutador.

Azeredo diz, inclusive, que essa nem é sua luta preferida de sua carreira. “A que eu mais gostei foi contra o Regiclaudio Macedo, no Japão. Essa foi muito boa. Queria até ver o vídeo dela, foi uma guerra. Soltei meu jogo, meu estilo, sem medo de nocaute. Entrei para o tudo ou nada”, lembra ao comentar o triunfo por nocaute.

A carreira dos dois acabou tomando rumos distintos depois do embate. Anderson passou a ser uma das estrelas do UFC, enquanto Azeredo disputou competições como o Cage Rage, no qual vai fazer sua próxima luta, UCC e o Bellator.

Eles chegaram a treinar juntos por algumas vezes, mas mantiveram um relacionamento amistoso e que praticamente deixou de existir depois do sucesso do Spider.

"Não tenho problema nenhum com ele, só não sei se ele tem alguma coisa por ter perdido pra mim. Somos pessoas centradas, corretas e profissionais. Cheguei até a fazer alguns treinos com ele depois, mas a carreira vai subindo, subindo e de repente ele não olha mais para ninguém."

Azeredo hoje treina em New Jersey, nos Estados Unidos, e diz aceitar uma revanche contra o campeão do UFC, mas desde que seja desafiado.

"Se ele quisesse empatar eu ia me prepara pra essa luta. Eu gosto de desafio; não tenho medo. Se rolar um desafio bom eu aceito. Estou pronto para lutar com qualquer um. Mas eu não sou um cara que vou desafiá-lo. Eu ganhei a luta, ele é que precisa me desafiar. Estou agora seguindo minha carreira", falou

"Ele é o melhor do mundo, mas eu não vivo do passado. Tenho meu potencial, sou um cara bom também", continuou.