Publicidade
Esportes
Craque

Rede Calderaro de Comunicação cobrirá os Jogos Olímpicos de Londres

A RCC será a única afiliada da Rede Record de Televisão - detentora dos direitos exclusivos de transmissão dos jogos - a enviar uma equipe própria para a Terra da Rainha Elizabeth II 27/03/2012 às 08:36
Show 1
Dissica Calderaro está contando as horas para a abertura dos jogos
André Viana Manaus

 A partir do dia 9 de abril até o mês de agosto, a Rede Calderaro de Comunicação (RCC) dará um salto triplo de qualidade em seus veículos rumo ao Olímpio da audiência. Reeditando a época áurea do ciclo da borracha, os veículos da RCC farão diariamente a rota Manaus-Londres, só que em tempo real. O feito é histórico e, diferente do que aconteceu no início do século 20, o legado para a população amazonense será dourado.

A RCC será a única afiliada da Rede Record de Televisão - detentora dos direitos exclusivos de transmissão dos jogos Olímpicos de Londres - a enviar uma equipe própria para a Terra da Rainha Elizabeth II. Intitulado Projeto Londres, a inédita empreitada é encarada pelo diretor-presidente do Sistema A Crítica de Rádio e Televisão, Dissica Calderaro, como a maior produção jornalística da história do grupo.

“Enxergamos o Projeto Londres como o maior desafio de nossa emissora no que se refere a grandes coberturas. Não só nós da Rede Calderaro de Comunicação, como para a própria Record. Não existe outro evento similar no mundo como os Jogos Olímpicos, nem a própria Copa do Mundo. O apelo e a grandiosidade de uma Olimpíada é maior do que a de uma Copa. A Copa é especial para o brasileiro por ser o evento do esporte mais amado do País, mas é inegável que uma Olimpíada é maior, é mais intensa. São inúmeros jogos, inúmeros esportes, um número incomparável de países participantes. São 15 dias de esportes, com várias competições acontecendo simultaneamente. O número de público e profissionais envolvidos, obviamente, é bem maior”, explicou Dissica.

Oficialmente, os Jogos Olímpicos de Londres começam dia 27 de julho e terminam em 12 de agosto, mas para a RCC eles começaram em janeiro e se estenderão após a Pira Olímpica ser apagada no estádio localizado no bairro de Stratford, no leste da capital inglesa. 

“Estamos muito empolgados. Para nós, a Olimpíada já começou em janeiro, com a produção de matérias e continuam. Hoje temos uma equipe no Rio de Janeiro colhendo material com diversos atletas que estarão nos representando em Londres. Nós já temos mais de 60 matérias produzidas para serem exibidas na emissora, em todos os veículos”, vibrou Dissica.

Se os ingleses vivem a serviço da majestade Elizabeth II, a RCC segue à risca seu papel de servir o povo amazonense. Que venham os jogos! Que venha Londres!

Dissica Calderaro, Diretor-presidente do Sistema A Crítica de Rádio e Televisão.

1 Qual será a marca da cobertura da RCC nos Jogos Olímpicos?
O Nosso objetivo é trazer Londres para Manaus. Vamos sair daqui com uma grande equipe local para fazer essa cobertura. E também teremos praticamente todos os profissionais que ficarão em Manaus envolvidos nessa grande cobertura. Nossos jornalistas, produtores e cinegrafistas estão rodando o Brasil e o mundo coletando um vasto material Olímpico. Para começar, encurtar essa distância entre o amazonense e o londrino.

2  Haverá interação do público amazonense com a equipe que estará em Londres?
Sim, o público poderá ver os atletas sob uma perspectiva de quem é daqui. O amazonense poderá enviar recados para os atletas que representarão o Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres.

3  De que maneira isso vai acontecer?
O público poderá presentear esses atletas olímpicos. Vou te dar como exemplo um jovem atleta de um projeto social de boxe daqui que foi ao shopping, comprou um presente para enviar a seu ídolo, o Esquiva, que estará em Londres. Seremos um agente da população amazonense.