Publicidade
Esportes
Prioridades saúde

Reestruturação da rede pública de saúde em Manaus é prioridade para 2012

Secretaria Municipal de Saúde ressalta que objetivo é melhorar o atendimento médico visando a Copa de 2014. Em 2012, recursos vão chegar a R$ 555 milhões 09/01/2012 às 07:54
Show 1
Desde agosto de 2011, as " Carretas da Mulher" já realizaram 14.685 exames, entre ultrassonografias, mamografias e preventivos
Jornal A Crítica Manaus

Ao anunciar que a rede municipal de saúde contará, este ano, com recursos que chegarão a R$ 555 milhões, o secretário municipal de Saúde, Francisco Deodato, assegura a prioridade para o programa de reestruturação da rede pública municipal, sinalizando a melhoria do atendimento na rede básica, de olho na Copa do Mundo de 2014.

O orçamento de 2012 é 6,9% maior do que o de 2011 e 27% a mais do que o de 2009, início da administração do prefeito Amazonino Mendes. Os recursos previstos para o ano de 2012 representam 18,51% do orçamento da Prefeitura de Manaus, acima dos 15% exigidos em lei, destaca Francisco Deodato, para quem isso sinaliza a importância dada à área da saúde.

 Estão na lista das obras para 2012, 27 Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs), no novo formato ampliado, que serão entregues logo no início deste ano, e mais 108 que serão construídas ao longo de 2012, por meio de parceria público-privada. As novas UBSFs, de 130 metros quadrados e com a oferta de mais serviços à população, substituem as antigas “casinhas de saúde”, de 32 metros quadrados. O novo modelo permite que as famílias cadastradas recebam, também, atendimento odontológico, além de terem acesso aos serviços de coleta de exames, imunização, farmácia, nebulização e curativo, que antes não existiam.

Uma novidade para 2012 será a construção do Núcleo de Assistência à Saúde da Família (Nasf), de 390 metros quadrados. Trata-se, conforme explica o secretário, de uma unidade que servirá de apoio às UBSFs, atuando com fisioterapeuta, psicólogo, assistente social, farmacêutico, fonoaudiólogo, profissional de educação física, nutricionista, terapeuta educacional, ginecologista, médico homeopata, acupunturista, pediatra e psiquiatra. O Nasf abrange nove áreas estratégicas: atividade física/práticas corporais; práticas integrativas e complementares; reabilitação; alimentação e nutrição; saúde mental; serviço social; saúde da criança, do jovem e do adolescente; saúde da mulher e assistência farmacêutica.

 FARMÁCIAS

A Semsa vai implantar mais sete Farmácias Gratuitas, somando-se, hoje, às três existentes e funcionando nos terminais de ônibus T3, na Cidade Nova, Zona Norte; T4, no Jorge Teixeira; e T5, no São José, ambas na Zona Leste. Desde que foi implantado, o programa já distribuiu uma média de 18 milhões de unidades de 84 tipos de medicamentos. Será concluída a implantação de três Unidades de Saúde Ambulatorial (USA), que vão reforçar o atendimento na zona Norte de Manaus.

A prefeitura entregou, em 2011, a USA Dr. Alfredo Campos, no Zumbi II, Zona Leste. Esse tipo de unidade funciona das 7h às 22h, de segunda a sexta-feira, e das 7h às 18h, aos sábados, com o objetivo de facilitar o acesso das pessoas que trabalham ou que não têm como ir à consulta médica no horário comercial. Além do horário estendido, as USAs possuem o diferencial do apoio diagnóstico, com exames de mamografia, ultrassonografia e raios X.

Reforço no serviço de remoção

 Outra área que ganhará reforço será a de remoção. O secretário Francisco Deodato diz que serão inauguradas mais duas bases do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) - na Cidade de Deus, zona Norte, e no Puraquequara, zona Leste. A prefeitura já tinha nove bases do Samu, contando com a fluvial, e fechará 2012 com 11.

O SOS Vida também será ampliado, chegando a todas as zonas da cidade, com mais três bases que serão construídas este ano - na Grande Circular, zona Leste, na Compensa, zona Oeste, e no Núcleo 13 da Cidade Nova, zona Norte. O SOS Vida, que possui, hoje, duas bases, atende com ambulâncias e vans as pessoas que precisam deslocar-se para tratamento de saúde e têm dificuldades físicas ou financeiras.