Publicidade
Esportes
Craque

Reforço do São Paulo reclama de pressão de torcida: "Precisamos de tranquilidade pra jogar"

Natural de Várzea Grande, no Mato Grosso, o volante apareceu para o futebol no Palmeiras e chegou a ser rebaixado com o time em 2002 30/07/2012 às 20:21
Show 1
Paulo Assunção, volante do São Paulo
UOL, São Paulo

Reforço do São Paulo para o restante da temporada, o volante Paulo Assunção comentou um dos momentos mais conturbados de sua carreira. Quando ele jogava pelo Porto, forçou sua saída e recebeu críticas da torcida. Nesta segunda-feira, o jogador criticou a pressão vinda das arquibancadas.

“A época que eu passei no Porto foi muito bonita. Tinha um contrato de cinco anos, mas teve o momento de sair. A torcida não aceitou. Fiz tudo, ganhei muitos títulos, e a torcida não aceitava que eu saísse. Creio que isso é mau, jogador tem que estar tranquilo para jogar, tem que poder decidir pra onde vai e onde quer fazer a sua carreira”, afirmou o jogador, que também rescindiu seu contrato com o Atlético de Madri.

Nos meses em que estava em disputa com o Porto, Paulo Assunção chegou a ser ameaçado por um grupo de torcedores após um treino. “Teve uma ameaça, falaram que dariam um tiro no meu joelho. Mas acho que não foi a torcida do Porto, foi alguém que queria aparecer, eles gostavam muito de mim. Eu sempre jogava bem, foram uns dois ou três que me ameaçaram. Mas foi tudo resolvido.”

Natural de Várzea Grande, no Mato Grosso, o volante apareceu para o futebol no Palmeiras e chegou a ser rebaixado com o time em 2002. Depois, começou sua carreira na Europa e passou por clubes portugueses e um grego antes de chegar ao Atlético.

Em Portugal, Paulo Assunção foi tricampeão nacional com o Porto. Na Espanha, ganhou duas edições da Liga Europa, uma delas atuando como titular. Aos 32, ele ele assinou com o São Paulo por apenas um ano e chega para compor elenco: deve ser titular enquanto os volantes Wellington e Fabrício ainda se recuperam de contusões no joelho. Ele ainda não tem data para estrear. A expectativa era a de que seu nome aparecesse no Boletim Informativo Diário da CBF nesta segunda, o que não aconteceu. Se ele não for regularizado até a manhã desta terça, nem viajará a Salvador, onde o São Paulo enfrentará o Bahia pela Copa Sul-Americana um dia depois.