Publicidade
Esportes
Craque

Robson Garanha prepara filho para herdar a camisa 9 do Naça

Aos 15 anos Robson Junior é a promessa da familia Ferreira da Silva para ser goleador do Nacional, quando Garanha pendurar as chuteiras 16/03/2012 às 15:39
Show 1
Garanha apresenta Robson Junior para o futebol amazonense
Carlos Eduardo Souza Manaus (AM)

Com 35 anos, o atacante Garanta voltou a jogar depois de duas temporadas ausente dos gramados. Mesmo assim, já fez gols decisivos com a camisa do Nacional. No último jogo contra o Princesa, foram dele os gols da virada do Nacional.

Mas até quando Garanha vai jogar? Ele mesmo responde: até chegar um substituto à altura. Sorrindo em tom de brincadeira, Garanha aponta par Robson Junior, seu filho, de 15 anos. Perguntado se um `muleque´ tem intimidade com a bola, o pai coruja diz que Robson Junior leva jeito e pode ser um grande atacante. “Tem qualidades. Já está treinando no Nacional e quem sabe no ano que vem ele possa me substituir”, disse o artilheiro.

Na família de Garanha, todos os homens se envolveram com futebol. O primeiro foi o pai, Raimundo Nonato da Silva. Desde cedo mostrou seu talento como árbitro de futebol. Ele parou de apitar, mas hoje tem função de avaliar o trabalho dos árbitros do futebol amazonense.

Nonato viu desde cedo seus dois meninos – Rogério e Robson garanha – crescerem com o futebol. O começo de tudo foi no Fast Clube. Os dois jogadores foram negociados ainda nas divisões de base com o Nacional. Os dois jogadores fizeram carreia no time e também foram juntos para o São Raimundo.

Rogério parou de jogar, mas Garanha continua fazendo os gols do Nacional, apesar de não ter o mesmo preparo físico de outrora. “O velhinho ainda aguenta uns vinte minutos. Se derem bobeira ele guarda”, brincou o atacante, fazendo uma referência aos gols que marcou contra o Princesa, quando entrou no intervalo e ficou apenas 20 minutos em campo.

Sobre as lições que o artilheiro pode passar ao herdeiro, Garanha disse que para atacante não tem bola perdida e por isso não deve desanimar em momento algum.

“Tenho que ver as características que ele vai desenvolver, mas se for de área, tem umas dicas que eu vou dar. Uma delas é jogar sempre na segunda trave, porque, se a bola for lá, o atacante não tem trabalho para correr. Se ela for na primeira trave, da tempo pra ele correr porque estará de frente pra bola”, afirmou Garanha.

No jogo deste sábado, Garanha não deve iniciar o jogo contra o Princesa. Assim como foi em Manacapuru, Leo Goiano deve poupá-lo para o segundo tempo, pois, na quinta-feira, 22, tem o jogo da volta diante do Coritiba, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR).