Publicidade
Esportes
Craque

Rogério Micale comenta cooperação entre comissão técnica da Seleção principal e olímpica

Em entrevista coletiva na Arena da Amazônia, o treinador interino da equipe olímpica do Brasil explicou que existe a comunicação direto entre ele e o técnico Dunga. No entanto, nos amistosos em Manaus, Micale está implantando seu sistema de jogo 08/10/2015 às 19:08
Show 1
O treinador interino explicou que há constante comunicação entre ele e demais membros da comissão técnica
Anderson Silva e Camila Leonel Manaus (AM)

Com a coincidência no calendário dos jogos da Seleção Brasileira principal e olímpica, o técnico Rogério Micale assumiu o comando do time canarinho para os dois amistosos contra República Dominicana (9) e Haiti (12), enquanto Dunga comanda o time pentacampeão mundial nas Eliminatórias para a Copa do Mundo. Apesar disso, o treinador explicou em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (8) como a comissão técnica vem tocando os trabalhos.

“Na verdade, trabalhamos em conjunto. Discutimos muito procurando definir um conceito de jogo, aquilo que nós acreditamos ser o futebol brasileiro e trocamos ideia sobre o que podemos fazer em virtude dessa falta de tempo. E com a coincidência de datas, a gente acaba definindo uma filosofia, que eu a princípio coloco em prática nos treinamentos, condicionando a nossa equipe. Agora, é lógico que existe a individualidade de cada um, a minha e a do Dunga, mas dentro de um conceito pré-estabelecido, a gente procura trabalhar e ir adiantando o processo", explicou Micale.

O treinador da Seleção Sub-20 do Brasil admitiu na entrevista, que tem uma característica mais ofensiva, enquanto Dunga já joga com um time mais defensivo. Mesmo com modos diferentes de montar sua equipe, Micale disse que vai implantar o seu sistema de jogo, que pôde ser percebido nos treinos, com os goleiros jogando mais adiantados e admite que quando a Seleção chegar nas mãos de Dunga, modificações podem ser feitas seguindo o perfil do comandante.

“A principio, quando a gente veste a camisa da Seleção Brasileira, a gente sabe que entramos para ganhar... para vencer porque a cobrança é muito grande. Temos que aproveitar esses momentos para poder testar algumas situações que possam ocorrer nas olímpiadas. Implantar o conceito de jogo e, no meu caso, como eu busco muito essa característica ofensiva, tento implantar um conceito que depois o Dunga vai chegar e vai corrigir algumas situações no perfil dele. Mas a gente procura adiantar esse processo”, avaliou o treinador.