Publicidade
Esportes
Craque

Sites divertem ao zoar celebridades

No mundo virtual, onde quase tudo é permitido, eles satirizam sem dó nem piedade 15/01/2012 às 11:07
Show 1
A jornalista Karol Pacheco afirma que é muito bom, de vez em quando, sair da rotina estressante e rir um pouco da vida alheia
Luana Ribeiro Manaus

Antigamente o humor da Internet se restringia a vídeos engraçados e charges animadas, que eram compartilhados por e-mail e lotavam a caixa de entrada. Mas há pouco tempo, surgiu uma nova modalidade de fazer gracinhas na rede: a gongação. A palavra é uma gíria gay, que significa zombar de algo ou alguém, e vem sendo usada para definir o humor que tem como alvo principal as celebridades. Ou qualquer pessoa que esteja a fim de aparecer sem motivo (ou talento) aparente.

A onda é satirizar sem dó, nem piedade, aqueles que a cada passo viram notícia em sites e jornais. E tudo acontece no mundo dos blogs e das redes sociais, onde - quase - tudo é permitido.

“Todo mundo tava meio de saco cheio da glamurização do nada. O que interessa se fulana foi caminhar na orla? Qual a importância do novo megahair da sicrana? O humor é uma forma de criticar isso”, diz Lele Siedschlag, uma das criadoras do sarcástico site “Te dou um dado?”, em entrevista ao jornal A CRÍTICA.

A página, que costuma satirizar celebridades como Susana Vieira, Luana Piovani, e “subcelebridades” como Jaque Khury (ex-BBB) e mulheres frutas, tem 2 milhões de acessos por mês, foi um dos primeiros sites com esse perfil criado no Brasil. “A gente se diverte muito fazendo”, diz Lele, que atualiza diariamente o blog ao lado da amiga Ana Paula Barbi, a Polly.

Preferências

O administrador de empresas Alessandro Magalhães diz que todo dia gasta cerca de uma hora navegando por blogs de humor de celebridades. “Adoro o Papel Pop. Conheci há pouco tempo. Além de dar notícias sobre o mundo dos famosos, e de vez em quando fazer umas piadas, é o mais leve. É bem engraçado”, indica.

“A gente tem uma vida tão corrida, tão cheia de coisas sérias. Sair da rotina, e ler coisas divertidas é bom de vez em quando”, diz a jornalista Karol Pacheco, fã de blogs de gongação. “O meu preferido é o Morri de Sunga Branca”, conta.

Piada Mais Ou Menos

Apesar de fazer piadas do mundo dos famosos - um terreno que sempre acaba em processo -, Lele afirma que o “Te dou um dado?” nunca foi processado. Mas ela conta que já teve que apagar posts por “responsabilidade jurídica”. “A piada não era tão boa assim e a dor de cabeça não valia a pena”, diz.

Para a jornalista Karol Pachecho, existe um limite para esse humor. Ela, por exemplo, não gosta de posts que envolvam religião. “Não acho legal, perde o foco”. A blogueira Lele Siedschlag acredita que nem toda piada vale a pena. “O limite é não escrotizar ninguém. Humor é uma coisa, ofensa é outra”.