Publicidade
Esportes
Craque

Tocha olímpica em Manaus pode passar na Arena, Ponte Rio Negro, Teatro Amazonas e Ponta Negra

A previsão é que a tocha também passe por pontos turísticos de Manaus e cidades próximas à capital amazonense 16/01/2016 às 14:14
Show 1
Tocha olímpica
Camila Leonel Manaus (AM)

A tocha dos Jogos Olímpicos 2016 deverá circular por vários cartões postais de Manaus e na região metropolitana. Entre os possíveis pontos do trajeto estão o estádio Arena da Amazônia, a Ponte Rio Negro, o Teatro Amazonas, a praia da Ponta Negra, o Encontro das Águas, além da Zona Leste da cidade e os municípios de Presidente Figueiredo, Careiro da Várzea e Rio Preto da Eva. Foi o que disse o Secretário executivode segurança para grandes eventos, Dan Câmara, durante o workshop que detalha as operações para as Olímpiadas, no Comando Integrado de Comando e Controle, Zona Centro-Sul de Manaus.

“Existe um esboço disto e na semana que vem, eu penso que é a semana decisiva para que se bata o martelo nesse sentido. Há alguns pontos pra que a tocha passe e para que ela chegue nesses pontos, ela vai passar pelas vias. Então é basicamente as informações preliminares: tem a previsão dela passar pela Ponta Negra, Arena da Amazônia, Teatro Amazonas, Ponte (do Rio Negro), a previsão é que ela vá na Zona Leste, passe pelo encontro das águas, existe a previsão que ela vá até Presidente Figueiredo, Careiro da Várzea, Rio Preto da Eva”, explicou o secretário.

Dan Câmara comentou que a decisão é político-operacional e que todo o plano de operações esteja “concebido e consolidado” a partir do dia 3 de fevereiro. A respeito da segurança dos eventos, ele explicou que planos de emergência e evacuação foram feitos para as áreas da Arena da Amazônia e Centros de Treinamentos, além dos planejamentos dos planos integrados das instalações esportivas e não-esportivas. Outro assunto em pauta é o detalhamento da operação no revezamento da tocha olímpica que passará por Manaus nos dias 19 e 20 de junho.

O workshop começou na quinta-feira (14) e diversos órgãos ligados à operação do revezamento da tocha olímpica e dos Jogos Olímpicos de 2016, estão reunidos no Comando Integrado de Comando e Controle (CICC), Zona Centro-Sul de Manaus, para um workshop que detalha as operações para as Olímpiadas, que acontecem em agosto. Durante o workshop, Mário Sérgio Duarte passou informações sobra as operações e falou da importância dos envolvidos entendam tudo o que vai acontecer devido à complexidade e interligação das operações.

“É uma operação que envolve muitas agências, que tem uma complexidade de número de pessoas que deve participar, do numero de equipamentos,de material, de previsão para estacionamento de veículos, de um grande comboio de logística. E tem necessidade de quem apóia a operação da tocha socializar, atualizar conhecimento para que todos entendam tudo. As pessoas terão uma participação particular e restrita às suas funções particulares, mas a intenção é que conheçam a operação num todo porque, a rigor, todas elas se encaixam. Toda atividade está intimamente ligada uma à outra”, declarou.

O gerente de operações também explicou aos presentes que é necessário que o cronograma seja cumprido de forma inflexível e garantiu que até o momento as operações estão ocorrendo de acordo com o planejamento.

“Ela é uma operação que envolve o cuidado de cumprimento de um  cronograma inflexível a gente pode até usar essa expressão. Ela pode parecer forte demais, mas o quadro horário que se inicia pela partida do comboio de uma cidade para outra até chegar na última cidade esse quadro horário tem que ser rigorosamente cumprido com o risco de comprometer toda a a operação voce imagina um quadro que não permite grandes flexibilidades tendo que ser cumprido no número enorme de veículos e pessoas”, explicou.

Também estava presente no evento, o secretário titular em exercício da Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), Ricardo Marrocos e, segundo ele, na próxima semana o Comitê Rio 2016 virá a Manaus para vistorias na Arena e na rede hoteleira de Manaus. A expectativa é que o trabalho resulte em uma operação que tenha tanto sucesso quanto na Copa do Mundo.

“Estamos acompanhando o comitê trabalhando para a segurança dos eventos com a expertise da Copa do Mundo, que não é diferente, e o governo está investindo nisso para que se tenha o mesmo êxito. Manaus foi uma das cidades mais elogiadas durante a copa e, nas Olimpíadas, queremos realizar da mesma forma, com o mesmo padrão e ter uma grande festa no revezamento da tocha, que é a anunciação dos jogos, é uma grande festa que sensibiliza a população pelo fogo simbólico e eu espero que essa passagem traga um legado social do esporte”, declarou.