Publicidade
Esportes
TRADIÇÃO

'Rua da Copa' faz vaquinha online para conseguir manter tradição em Manaus

A menos de 50 dias da Copa do Mundo, a rua Santa Isabel busca arrecadar, inicialmente, R$ 20 mil para fazer a decoração especial para o mundial. Na Copa de 2012, a rua foi escolhida como a 3ª mais alegre do Brasil 26/04/2018 às 16:57 - Atualizado em 26/04/2018 às 19:31
Show sem t tulo
Rua Santa Isabel reúne cerca de 10 mil torcedores por jogos do Brasil durante a Copa do Mundo (Arquivo AC)
acritica.com Manaus (AM)

Desde 1982 a Rua Santa Isabel se veste de verde e amarelo para receber a chegada da Copa do Mundo. Foram nove edições que a rua ficou pintada de esquina a esquina, de quatro em quatro anos, até a chegada de 2018. Pela primeira vez em muito tempo a tradicional festa da comunidade da Praça 14 corre o risco de ficar sem a famosa decoração. 

Lá na Rua da Zona Sul é praxe em época de Copa: o céu fica colorido com bandeiras e o asfalto some em meio a litros e mais litros de tinta. A rua Santa Isabel já foi reconhecida como a 3ª mais alegre do Brasil, na Copa de 2002. É referência. Mas, sem dinheiro ou patrocínio, pode ficar fora do circuito deste ano.

A 48 dias do início da Copa do Mundo de 2018, a rua não tem nada. Nem uma bandeirinha balançando debaixo do sol. Não tem dinheiro também. Com prazo apertado e o caixa vazio, a organização responsável pela festa que toma conta do conjunto lançou, numa tentativa de emergência, iniciar uma vaquinha online para tentar arrecadar R$ 20 mil. Isso é só o início do valor que a comunidade precisa para transformar a pacata rua na tão famosa “rua da Copa”. Até agora, só R$ 40 foram arrecadados. 

“Fizemos a vaquinha numa tentativa de chamar a atenção. Nossa rua é a mais famosa por sua ornamentação e festa durante a Copa do Mundo, mas ninguém sabe se esse ano vamos conseguir manter a tradição. Como falta pouco tempo e não conseguimos levantar dinheiro, criamos a vaquinha. É a expectativa de conseguir movimentar, chamar a atenção”, explica Breno Oliveira, o criador da vaquinha.


Breno defende que a tradição de ornamentar a rua para Copa deve ser mantida e por isso pede
que a população ajude na vaquinha online. Foto Felipe Gramajo 

A rua tenta arrecadar, inicialmente, entre R$ 10 e R$ 20 mil. Mas, nos cálculos da organização, o mínimo para fazer a festa fica por volta de R$ 80 mil. Valor gasto na Copa de 2014. 

“A rua nunca foi feita a partir de contribuição de moradores apenas. aquela coisa bonita que aparece só quando começa a Copa é muito cara. Gira em torno de R$ 80, R$ 100 mil, dependendo do que a gente vai fazer de especial, fora os eventos em dias de jogos. Sempre tivemos patrocínio, ora de empresas privadas, ora de políticos. Mas neste ano as coisas mudaram”.

Muita gente da organização, da velha guarda, envelheceu, se afastou ou faleceu - conta Breno. Por isso, ao longo dos últimos anos, a logística mudou. Para a Copa deste ano, as promessas de ajuda ficaram só como promessas. Uma “não-Copa” afetaria toda uma comunidade. 

“É um evento cultural. É um evento social. Olha o tanto que a gente arrecada para cada morador, comerciante local. É uma geração de renda informal muito importante para a comunidade. Já fomos a terceira rua mais animada do Brasil. É questão de tradição. Não se pode perder”.

A vaquinha online segue aberta até a reta final do prazo. Quem quiser ajudar pode doar dinheiro na plataforma online, ou ir diretamente na rua da Praça 14.  

Publicidade
Publicidade