Publicidade
Esportes
Peladão Master

Unidos São Jorge estreia com vitória magra sobre o Brothers Mauazinho

Nem o 'paredão' Zezé conseguiu impedir a vitória do Unidos São Jorge sobre o Brothers Mauazinho na estreia das equipes na categoria Masters do Peladão 2017 25/09/2017 às 11:46
Show ja
Jander deu trabalho, mas foi Pante quem venceu o goleiro Zezé (Foto: Antônio Lima)
Denir Simplício Manaus (AM)

O jogo de abertura da rodada de sábado (23) da categoria Master do Peladão 2017 aconteceu entre Unidos do São Jorge x Brothers Mauazinho, no Campo da Petrobrás, no Polo Industrial de Manaus (PIM), na zona Sul da cidade.

E quem se deu melhor foi o time da Zona Oeste de Manaus. Com gols de Pante em cobrança de pênalti, o Unidos do São Jorge estreou bem na Chave 20 do torneio.

Apesar de grande atuação do goleiro Zezé, de 56 anos, a equipe do Mauazinho não segurou a pressão e amargou o primeiro revés na competição.

“Nunca quis jogar profissional. Comecei a trabalhar na Moto Honda e de lá não saí mais”, comentou Zezé, que apesar de quase sexagenário, continua com a agilidade em dia.

Pelo lado do Unidos, destaque para boa apresentação do atacante Jander, que já foi campeão do Peladão pelo time do AJ. Quem também teve destaque foram os meias Lino e Boi, que dominaram o meio de campo e não deixaram os Brothers do Mauazinho verem a cor da bola.

No fim da partida, Niltinho e Mário ainda perderam chances incríveis de ampliar o placar para o Unidos. Na melhor chance do Brothers, Jorge, de cara pro gol, isolou a bola e levou seu banco de reservar à loucura, mas ficou nisso.

Zezé, a fera do jogo

O goleiro Zezé, apesar dos 56 anos, foi o um dos melhores no duelo de masters. Jogo pegado desde o início, Unidos do São Jorge e Brothers do Mauazinho fizeram partida disputadíssima pela categoria Master. Fundado há seis anos, o time da Zona Oeste martelou o gol do goleiro Zezé desde o início do duelo.

Zezé deu o sangue em campo, mas não evitou derrota dos Brothes (Foto: Antônio Lima)

Em um dos lances, o veteraníssimo arqueiro saltou para mais uma defesa e, literalmente, deu o sangue pelo time. Com um corte profundo no cotovelo, Zezé sangrou, mas permaneceu em sua meta até o fim do jogo.