Publicidade
Esportes
Craque

Valdivia: mudanças para brilhar em 2012

Após dois anos de lesões, Mago enfim faz pré-temporada inteira e, com novo espírito, já colhe frutos na estreia 24/01/2012 às 09:35
Show 1
Valdivia foi o destaque na estreia no Paulistão
Lance ---

A boa atuação de Valdivia na estreia no Paulistão, contra o Bragantino, encheu não só os torcedores do Palmeiras de esperança, mas também o próprio jogador.

Se considerou 2011 como o pior ano de sua carreira, ele está confiante em uma temporada diferente para, enfim, fazer o que dele se espera. E, pelo menos no início, já mostrou que pode conseguir isso.

Diferentemente dos dois últimos anos, o Mago fez a pré-temporada com o restante do elenco. E, segundo ele, esse foi o principal motivo para ter um bom começo.

– Isso se deve a um pouco de tudo, mas eu me preparei fisicamente. Fizemos uma pré-temporada boa, longa e dura, e deu certo. Estou bem fisicamente, sem problemas, espero que isso continue me ajudando nos jogos – disse ele.

Valdivia passa por um trabalho específico para aprimorar a forma física e não voltar a sofrer com as seguidas lesões (veja abaixo).

Sem Marcos, Kleber e grandes contratações, o Mago foi a principal aposta da direção e da comissão para este ano. Na visão deles, com uma boa preparação e livre das lesões, o camisa 10 pode fazer a diferença no time. Ciente disso, ele diz que mudou seu comportamento tanto dentro como fora de campo:

– Nas férias eu me preparei. Por incrível que pareça, me preparei. Voltei muito bem. Mas me preparei psicologicamente também. Quando tudo o que você faz não dá certo, tem de parar, ver o que é, e mudar. Me cuidei nas férias e sei que não dava para continuar do mesmo jeito. Espero que tudo que eu tenho na cabeça agora ajude – declarou.

Contratado como ídolo e a peso de ouro, Valdivia sabe que está devendo. Não querer sair do clube pela porta dos fundos um dia foi outro fator que o fez mudar de postura.

Desde que voltou, o Mago sempre disse que daria alegria aos torcedores. Em campo, nunca correspondeu. Em 2012, ele começou a mostrar que pode ser diferente.


Trabalho físico do Mago

Musculação convencional
Ao lado do restante do elenco, o Mago faz o trabalho de musculação, sem dar ênfase a um músculo específico. Os jogadores fazem esse tipo de atividade geralmente após os treinos no campo.

Musculação funcional
O trabalho diferenciado de Valdivia é a musculação funcional. São utilizados elásticos e aparelhos, dando uma sobrecarga. A intenção é que eles se assemelhem ao máximo aos movimentos de campo e, dessa forma, consigam reforçar a musculatura.

Treinos físicos
Com o grupo, Valdivia faz o treinos físicos de campo, como de corrida e arranque. Segundo o preparador Anselmo Sbragia, os índices do jogador estão bons neste começo de ano.


Maiores sequências do Mago

2010
Em 2010, Valdivia teve sua maior sequência desde que voltou ao Palmeiras. Ele participou de nove partidas consecutivas contando com a estreia. Porém, em quatro delas, começou no banco de reservas e entrou no decorrer dos confrontos.

2011
A maior sequência de Valdivia como titular desde seu retorno ao clube foi entre os dias 24 de julho e 6 de agosto do ano passado. No período, começou cinco partidas: contra Fluminense, Figueirense, Atlético-MG, Coritiba e Grêmio, vencendo dois desses jogos.


Confira um bate-bola com Valdivia

O que fez você mudar assim?

Muita coisa não estava dando certo, que aconteceu comigo no ano passado, eu tinha de mudar. A diretoria falar dos jogadores, de mim... É difícil engolir uma crítica do presidente sobre sua vida pessoal. Eu me preparei nas férias, me cuidei e sei que não dava para continuar da maneira que estava.

O que você fez nas férias?

Fui para a praia, fiquei em família. Comprei até uma bicicleta (risos)... É sério mesmo! Eu me cuidei, fiquei mais em casa, curtindo meus filhos, a família. Comi e bebi menos. Até montei uma academia pequena lá em casa. Isso foi legal.

Como você lida com as críticas sobre sua vida fora de campo?

É difícil quando o presidente fala que o Valdivia tem de parar de beber muito. Ele não bebe comigo. É difícil aceitar isso. Até entendo porque o clube paga meu salário. Ser criticado pelo futebol, tudo bem. Mas fora de campo não é legal. Gente falando que eu saio muito... Mas quem fala isso não estava comigo para saber. É difícil aceitar isso.

Como é ver os rivais conquistando títulos e o Palmeiras no jejum?

É difícil engolir isso, ver os outros vencendo e nós não. A única saída é trabalhar. Nosso rival mais forte é o próprio Palmeiras. Temos de acreditar em nós, no nosso potencial. Para jogar no Palmeiras o cara tem de ter personalidade.