Publicidade
Esportes
Craque

Vasco bate o São Paulo no Morumbi e segue na cola do líder

Depois de um bom início, com direito a bola na trave de Cícero aos 9min, o São Paulo repetiu um pouco do que fez contra o Palmeiras e teve muitas dificuldades de criar jogadas 18/07/2012 às 17:37
Show 1
Vascaíno Dedé comete falta de Luis Fabiano, no começo da partida no Morumbi
Lancepress! São Paulo (SP)

O Vasco segue sua caça ao líder Atlético-MG. Com a vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo, nesta quarta-feira, no Morumbi, o time da Colina chegou aos 23 pontos, ainda dois atrás do Galo. Melhor durante os 90 minutos, os cariocas não tomaram grandes sustos e garantiram o triunfo com um gol de Fagner. Já o Tricolor, em mais uma noite para se esquecer, segue sem conseguir emplacar uma sequência positiva no Brasileirão. De quebra, o Sampa perdeu os 100% em casa no campeonato. E a torcida chiou...

Antes mesmo do árbitro Leandro Vuaden apitar o início do jogo, já se ouvia das arquibancadas os pedidos de raça ao time. No final do jogo, quando a vaca já tinha ido para o brejo, o alvo foi o presidente Juvenal Juvêncio. Até de pipoqueiro a equipe de Ney Franco foi xingada.

O jogo

O primeiro tempo no Morumbi foi de um Vasco amplamente melhor. Mais solto em campo e com mais posse de bola (56%), a equipe da Colina assustou os donos da casa diversas vezes com chutes de longa distância. Juninho, sempre com o pé calibrado, foi o mais perigoso.

Os instantes iniciais foram até de um São Paulo mais ofensivo. Marcando a saída de bola carioca, os tricolores criaram boas chances. A melhor delas veio com Cícero. Após boa triangulação, o meia bateu firme e a bola explodiu na trave de Prass.

Com o passar do tempo, os alvinegros passaram a tomar conta do jogo. William Barbio, se movimentando muito no ataque, abriu espaços e as oportunidades apareceram. Em uma falta venenosa, Juninho acertou o travessão de Denis. No rebote, o camisa 44 cabeceou para fora.

Acanhado, o Tricolor errou passes bestas e não conseguiu criar boas chances. Apesar do time da Colina melhor, a primeira etapa terminou no zero. E com uma bola na trave para cada lado.

A segunda etapa começou com mudança tática no São Paulo. Ney Franco tirou o estreante João Shimidt e colocou João Filipe, usando um esquema com três zagueiros, que deu certo quando Milton Cruz comandou o time interinamento. Com isso, o comandante liberou Cortez e Douglas para jogarem de alas.

E a experiência não deu muito certo. Bastaram três minutos para o Vasco abrir o placar. Em linda jogada de ataque, Fagner recebeu livre e soltou a bomba. Denis ainda tocou na bola, mas não evitou o pior.

Se a vida são-paulina já não estava fácil, Rodrigo Caio fez questão de complicá-la ainda mais. Aos 12 o volante colocou a mão na bola, tomou o segundo amarelo e deixou seu time com um a menos. Nada ia dando certo...

Atrás no placar, em momento nenhum o Tricolor mostrou poder de reação. Luis Fabiano ainda teve uma chance, tentou tocar por cima de Prass, mas desperdiçou. Por outro lado, os cariocas seguiam atacando e criando chances. A noite foi toda alvinegra no Morumbi.

Agora, o Tricolor irá até Santa Catarina enfrentar o Figueirense, no próximo domingo, às 16h Já o Vasco receberá o Santos, em São Januário, no próximo sábado, às 18h30.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 0X1 VASCO

Local: Morumbi, São Paulo (SP)

Data/hora: 18/7/2012, às 21h50

Árbitro: Leandro Vuaden (RS)

Auxiliares: Kleber Lúcio Gil (SC) e Rafael Da Silva Alves (RS)

Renda e público: R$ 306.364,00 / 10.247

Cartões amarelos: Rodrigo Caio e Rhodolfo (SAO)

Cartões vermelhos: Rodrigo Caio, 12'/2°T (SAO)

Renda e público: R$ 306.364,00 / 10.247

GOLS: Fagner, 3'/2°T (0-1)

SÃO PAULO: Denis, Douglas, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Rodrigo Caio, João Schimidt (João Filipe, intervalo), Cícero (Ademilson, 12'/2°T) e Jadson; Osvaldo (Rafinha, 28'/1°T) e Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Douglas e Thiago Feltri; Nilton, Wendel (Carlos Alberto, 21'/2°T), Juninho e Diego Souza (Diego Rosa, 37'/2°T); Wiliam Barbio e Alecsandro. Técnico: Cristovão Borges